TV paga discute crise do setor

Tentando fugir da crise, que hátempos assusta o setor, a Associação Brasileira deTelecomunicações por Assinatura (ABTA) realizará um workshop, nodia 25, para discutir os problemas da TV paga no País. O encontro será em São Paulo - o local ainda não foi definido - e reunirá operadoras de TV por assinatura, programadores, fornecedores de equipamentos para o setor,representantes do mercado publicitário, entre outros.A idéia do workshop partiu da consultoria Accenture,contratada no ano passado pela ABTA para reavaliar os modelosdas negociações de TV paga no Brasil e apresentar soluções paraum mercado com problemas de crescimento, mas com muitopotencial.Basta olhar para o cenário da TV paga em outros paísesda América Latina em situação socioeconômica semelhante à doBrasil, para se ter uma idéia da estagnação do serviço no País. O maior índice de crescimento da TV por assinatura naAmérica Latina é o da Argentina, que no ano passado registrou 64,5% de penetração, de acordo com a pesquisa Mídia Fatos de 2001.O mesmo estudo mostra a Bolívia com 10,1%, seguida do Brasil,que registou 9,1% de penetração, porcentual bem abaixo doesperado, já que o País é o 6.º maior mercado em potencial paraa expansão da TV por assinatura.Outra preocupação do setor é a quantidade de assinantesdo produto no Brasil, que continua abaixo do esperado. No anopassado, o País registrou cerca de 3,5 milhões de consumidoresdo serviço, a metade do que se esperava do mercado há quatroanos para 2001.Entre outras coisas, um ponto que deve ser bem discutidono encontro do dia 25 é o preço dos pacotes de TV por assinaturano País, que, segundo pesquisa do Ibope realizada no ano passado ainda é considerado muito alto pelo público, impedindo aexpansão do número de assinantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.