TV Cultura: protesto pede mais verba e nova direção

O Sindicato de Radialistas de São Paulo promoveu na tarde de hoje um ato em defesa da TV Cultura, que vive a sua pior crise desde 1995. Em campanha salarial, a reivindicação por reajustes maiores foi somada a outras duas bandeiras: mais verba do governo do Estado para manter a emissorano ar e a saída do presidente da Fundação Padre Anchieta, o jornalista e escritor Jorge Cunha Lima.Não houve participação expressiva dos funcionários no "apitaço". A situação, conforme o Estado divulgou no domingo, é critica, e vem comprometendo as operações da emissora. Há equipamentos sucateados, a qualidade de transmissão está sendo prejudicada e até fitas de gravação com antigos programas estão sendo reaproveitados.O impasse ocorre porque o governo do Estado já cortou, neste ano, 18,6% do orçamento da emissora, algo em torno de R$ 18 milhões. Para tentar solucionar o problema houve a demissão recente de 256 funcionários, mas a Fundação não recebeu a contrapartida por essa economia. Funcionários da emissora dizem que o corte de verbas está acontecendo porque o governoestadual não estaria contente com a atual administração da fundação, mantenedora da TV Cultura, e quer forçar a saída de seusdirigentes. Apenas o Conselho Curador pode destituir a atual direção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.