TV Cultura investe nos infantis

Antes mesmo de finalizar a produção de Ilha Rá-Tim-Bum, série de 52 episódios que estréia em março, a Cultura já engatilha dois projetos de teledramaturgia infanto-juvenil. Um é a segunda fase do Rá-Tim-Bum, para crianças de 4 a 7 anos, e o outro, uma versão masculina da série Confissões de Adolescente, que a emissora co-produziu em 1994 com Daniel Filho e exibiu por cinco vezes. "Queremos manter um centro de produção infantil, seja direto ou terceirizado", afirma Jorge da Cunha Lima. O presidente da Fundação Padre Anchieta diz que tais projetos decolam assim que contarem com patrocinador. "Teledramaturgia é caro, não podemos fazer dois esforços ao mesmo tempo e agora estamos com o Ilha."Apesar de a estréia ser só em cinco meses, a Cultura já agendou um especial do Ilha Ra-Tim-Bum para dezembro. A partir do domingo, dia 14, a novidade fica por conta do bloco "1,2,3 e... Já!", com programação dedicada à fase pré-escolar.Desenhos como o canadense Caillou (10h55) fazem parte do pacote, preparado especialmente para crianças de até 7 anos, ou seja, a fase que vai até a alfabetização. Combinadas a reprises do Rá-Tim-Bum e a 26 episódios inéditos do Cocoricó, a partir do dia 15, o pacote de atrações tem fôlego para seis meses e objetiva obter maior fidelidade do público mirim.Para tanto, além do novo horário infantil, aos domingos, a faixa das das 10 às 16 horas, de segunda a sexta-feira, será totalmente dedicada ao espectador mirim, assim que o Matéria Pública passe das 13h30 para 9 horas. "Vamos respeitar a dinâmica da criança, e não do mercado", afirma o diretor de Programação Walter Silveira, referindo-se às mudanças de programação que deverão ser feitas.

Agencia Estado,

02 de outubro de 2001 | 17h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.