TV aberta abocanha 63% da publicidade

Fé, ou Andar com Fé, títulos possíveis para o programa sobre histórias de superação humana a ser feito por Cissa Guimarães no canal GNT, está em fase de definição de piloto e escolha de personagens.

O Estado de S.Paulo

21 de dezembro de 2011 | 03h08

O SBT Brasil tem chegado a 5 pontos de média de audiência em São Paulo. Faz assim, por alguns dias, mais público do que a plateia do Jornal da Record, produzido com investimentos e pressão bem maiores. Mais policial do que permite a hora do jantar, o noticiário tem perdido torcida.

Arlindo Grund, do programa Tenha Estilo, do SBT, trabalha até essa véspera de Natal para ganhar uma folguinha nos dias seguintes. Ontem foi dia de gravar dicas de estilo na loja Zoomp da Oscar Freire.

A Fremantle assina a produção do Coral de Rua pilotado por Marco Camargo para a Record, que exibe a cena na noite de amanhã. Moradores de rua ganharam aulas de canto, expressão corporal, dança e acompanhamento psicológico.

Patrícia Poeta vinha desenvolvendo um novo quadro, na linha musical, para o Fantástico, quando foi surpreendida pelo convite para apresentar o Jornal Nacional. Mas a ideia ainda deve ser aproveitada na revista dominical com apresentação de outro profissional.

Enquanto Netflix ainda patina para fazer valer seu negócio de locadora virtual no Brasil, a HBO prepara para o início do ano que vem aí o lançamento de sua plataforma de Video On Demand (VOD), batizada como GO. O Brasil será o primeiro país da América Latina a receber o serviço.

A Globo mantém os direitos de transmissão sobre Copa Sul Americana e Libertadores em 2012, mas a chegada do Fox Sports ao Brasil vem implicando renegociações em relação ao número de partidas que a emissora poderá exibir.

Não tenha piedade da turma do Pânico: na virada do ano, bem à meia-noite, todos eles aparecerão na tela da RedeTV! para dar as boas-vindas a 2012. Mas o expediente passa longe da condição ao vivo. Está devidamente gravado desde 29 de novembro.

"TV pública precisa ter cara de televisão. Só existe uma televisão" Boni, ex-chefão da Globo, no Roda Viva, anteontem, na TV Cultura, ao defender que TV pública seja vista

No ano em que a TV paga mais cresceu em número de assinantes, a TV aberta registrou seu melhor faturamento nos últimos anos. Ao final de 2011, quando o setor terá superado 12 milhões de assinantes, avançando 29,5% na pirâmide de telespectadores, a TV aberta terá abocanhado 63% de todo o bolo publicitário disponível no mercado. Em relação a 2010, o meio TV aberta cresceu 9% em faturamento. O índice está alinhado com o progresso alcançado pela TV Globo, que pode já não superar mais os 50% de share (audiência entre o total de aparelhos ligados) em boa parte de sua programação, mas ainda detém a maioria do cofre despejado pela publicidade na TV brasileira.

Hoje é um novo dia...

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.