Tusp busca inspiração na vida de seus atores

Dirigido por Abílio Tavares, oGrupo Tusp tem seis anos de existência e seis espetáculos nocurrículo, com diferentes linhas de investigação, desde umacomédia como A Farsa de Inês Pereira, do português GilVicente, até o divertido musical Miss Brasil 2000, criaçãodo grupo. O difícil mergulho em vivências pessoais do elencoserviu de matéria-prima para a 7.ª montagem do grupo,Interior, no Tusp.A idéia inicial era criar uma dramaturgia a partir daexploração do elemento terra. Foram quase dois anos de umainvestigação que incluiu viagens ao interior de Minas, pesquisacom técnicas de plantio e tecelagem para, ao fim, o grupo acabaroptando por voltar-se sobre si mesmo, sobre as suas memórias devida. "Considero Interior o meu melhor trabalho teatral e,curiosamente, foi o de menor interferência de minha parte. Oprocesso seguiu o próprio caminho, diferentemente doplanejado."O elemento terra associado a raízes e origem acaboulevando os atores a debruçarem-se sobre suas histórias. "Pedientão que cada ator escrevesse uma carta ao seu pai ou sua mãe.Carta essa que serviria apenas como instrumento de trabalhoindividual, mas permaneceria secreta. Isso detonou um processode investigação muito profundo, verdadeiro e até perigoso,acompanhado de perto por uma terapeuta", conta o diretor. Com omaterial colhido nesse processo, foi criada a dramaturgia doespetáculo. "Estávamos em busca de verdades. Passamos peladescoberta da obstrução da memória, pela dificuldade decomunicação, pelas contradições do afeto. De posse dessematerial, construímos então o espetáculo. O maior risco a serevitado era cair na pieguice, escorregar para o sentimentalóide.Um risco presente o tempo todo, mas do qual, acho, conseguimosescapar."O espetáculo começa com cada um dos 13 atoresapresentando um curto perfil de si mesmo para o público. Apartir daí, tem início uma série de pequenas cenas familiares,todas criadas a partir da experiência reais dos atores que asapresentam. "Há desde coisas muito fortes como um homem quechega a pegar uma faca para ameaçar sua mulher, cena vivida emcasa por um dos atores quando tinha 5 anos, até coisasrelembradas pelo ângulo do humor como a primeira transa." Nodia 4 de agosto, o grupo começou a realizar uma série de ensaiosabertos ao público. "O elogio que mais ouvimos foi à nossa´coragem´. Curiosamente, nunca pensamos em ser corajosos. Apenasbuscávamos verdades para levar ao palco. Coisas que fossemverdadeiras para nós e para o público. Pela reação até agora,nós conseguimos."Interior. Direção Abílio Tavares. Duração: 110minutos. De terça a quinta, às 21 horas. R$ 15,00. Tusp. RuaMaria Antônia, 294, São Paulo, tel. 3255-5538. Até dezembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.