Tudo em nome da canção

Há bem pouco tempo foi decretada a morte da canção. Sim, gente graúda dizendo que esse formato (que resumindo bem seria toda e qualquer criação artística possível de ser executada por uma voz e um violão) perdia espaço para experiências mais, digamos, experimentais. Então, se estiverem certos, que venha Tiê, salvar a canção. Ela não está sozinha na missão, mas mostra bem a força de boas letras e melodias quando sustentadas por timbres de banjo, teclas de acordeom, cordas de violão. Mais duas coisas: Mapa-Mundi, de Thiago Petit, é irresistível. E Plínio Profeta, o produtor, um craque.

Julio Maria, O Estado de S.Paulo

23 Abril 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.