"Tudo a Ver" quer herdar platéia feminina

Quer entender sobre tecnologia, economia, moda, esporte, agronegócios, gastronomia, a vida das celebridades ou segurança? Assista ao Tudo a Ver. Não, não é slogan da Globo. Trata-se do programa ancorado por Paulo Henrique Amorim e Janine Borba, que estreará hoje, às 17h30, na Record, prometendo ao espectador um leque gigante de temas. A intenção é limpar o tom de desgraça e assegurar a presença do público feminino, que representa, acredite, 60% da audiência do Cidade Alerta. Como estrela maior - ou de maior destaque - está a top Ana Hickmann, mas a atração também conta com outros 14 colaboradores. Cada um em sua área. Do Jornal de Notícias, Paulo Henrique importou os quadros fixos - o programa tem uma infinidade deles - e o bom humor. Como ele já disse algumas vezes e gosta de repetir: "Jornal não precisa ser chato". Luciano do Valle, Nivaldo Prieto e Paulo Calçade falarão de esportes, basicamente futebol, no quadro Papo de Arquibancada. E, como um dos públicos-alvo do programa são as mulheres, tentarão desmistificar o futebol para a platéia feminina. Como exemplificou Calçade na coletiva de imprensa feita pela Record, questões complicadas como "O que é um impedimento?" estarão em pauta. Fábio Gandour falará sobre tecnologia no Tecnofácil, Luiz Hafes, sobre agronegócios no Campo, onde o Brasil é Maior, Percival de Souza apresentará o Segurança/Insegurança, Eduardo Guedes, sobre culinária no Tá na Mesa, Sophia Camargo, sobre economia no O que eu Faço, Sophia... Talvez o quadro mais inusitado seja o Assim Não Dá, de Luciano Faccioli. Faccioli irá percorrer as ruas para tentar flagrar um problema ou até mesmo uma atitude equivocada de um cidadão, como um motorista que está dirigindo na contramão. O programa ainda terá uma repórter em Brasília e outra em São Paulo. É claro que todos os colaboradores não vão aparecer no vídeo todos os dias. Haverá um revezamento. Nem mesmo Ana Hickmann, a nova aposta da emissora, entrará em cena todas as tardes com seu quadro, Estilo. Mas no dia de estréia, claro, ela estará lá. "Vou mostrar como não comprar besteiras por impulso nas liquidações", conta. A idéia de Ana é começar a dar suas dicas de uma forma generalizada - como usar um terninho básico, por exemplo - para depois especificar o tema - como saber a cor adequada para cada tipo de pele. Se depender da expectativa de Amorim, o programa tem futuro. "O Boni, que é pai de todos nós, fundou o padrão Globo de qualidade e nós vamos ter na Record um padrão de qualidade com programa popular", afirma o jornalista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.