'Tropa de Elite' transforma caveira em ícone fashion

E as caveiras se levantam. Com o sucesso do polêmico Tropa de Elite nos cinemas (e nas bancas de camelôs), a figura macabra da morte é moda de novo. Não apenas por representar o Bope, o Batalhão de Operações Policiais Especiais da Polícia Militar do Rio de Janeiro, amargamente retratado no filme narrado pelo capitão Nascimento (Wagner Moura), mas também por ser, ironicamente, o símbolo da maldição que paira sobre o longa-metragem: a pirataria. Estima-se que tenham sido vendidos quase dois milhões de DVDs piratas de Tropa no Rio e em São Paulo antes da estréia nos cinemas, na sexta.Em cenário tão propício, piratas em ?osso e osso? invadem estampas de camisetas, bonés e uma infinidade de acessórios masculinos e femininos, seja nas bancas dos ambulantes, seja nas vitrines. O boom parece até o retorno da moda lançada nos anos 1990 pelo estilista Alexandre Herchcovitch, que tem na caveira o seu RG.?A mídia faz o produto?, explica Hanna Kramolisck, 26 anos, professora do Curso de Gestão de Moda da Unip e proprietária da marca Broken Heart, na Galeria do Rock em São Paulo, a Meca da moda moribunda, repleta de camisas, cintos, bolsas e demais frufrus ?caveirados?. ?O filme deve fomentar ainda mais esse mercado?, aposta.?Ainda mais? porque, de acordo com Myshelle Dessibio, 25 anos, vendedora da loja Metrópole, também localizada na galeria central, a procura pelos crânios fashion tem aumentado consideravelmente, deixando o gueto de adolescentes roqueiros, góticos e emos. ?Hoje, todo mundo gosta. E existem modelos bem comerciais, principalmente os femininos, até dentro do estilo menininha e vintage?, afirma Myshelle.A Galeria do Rock prepara o seu primeiro desfile de moda, que deve acontecer no dia 27, reunindo ao menos 12 lojas do local. O objetivo é aumentar as vendas, explorando o atual perfil comercial da galeria - que já foi o templo dos discos de rock -, o vestuário ?subversivo?. Entre as modelos, nada de tops: desfilarão vendedoras e clientes. As informações são do Jornal da Tarde

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.