Troféu Imprensa exclui disputa entre apresentadores

Espirituoso como ele só, Silvio Santos gravou na sexta-feira a 46.ª edição do Troféu Imprensa, prêmio que contempla os melhores do ano na TV e na música. Ao cumprimentar os jornalistas do júri, no camarim, antes de dar início às gravações, só pediu, em outras palavras, que ninguém fosse grosseiro com grandes personalidades: "Vocês podem opiniar como quiserem, só não podem dizer que a Xuxa é feia e gorda, coisas assim. Eu não sou o Ibope, mas também gosto de fazer média", brincou o animador.O diálogo mais surreal do programa se deu entre ele e o jornalista Boris Casoy, que compareceu ao estúdio para receber um troféu que lhe foi atribuído no ano passado. O ex-patrão foi quem puxou a provocação, dizendo que Boris conseguia ser um sucesso na TV, "mesmo sem ter pernas torneadas e um rostinho bonito". O jornalista rebateu com bom humor: "Não tenho pernas torneadas, mas o rostinho é bonito, como não?", brincou o jornalista, que logo explicou à platéia o contexto daquela conversa. "É que um jornalista me ligou para saber como eu enfrentaria o novo jornal do SBT. Não posso fazer nada, não tenho pernas torneadas", respondeu Boris, em referência a Analice Nicolau e Chyntia Benini, apresentadoras do noticiário que estava estreando na época e que exibiam suas pernas no ar. "É que você nunca mostrou suas pernas, Boris", disse o ex-patrão. "Eu vou tentar", respondeu o jornalista. Foi dentro desse contexto que os dois trocaram confetes sem pudor, relembrando que Boris se descobriu na TV via SBT e que Silvio bancou, desde o início, que o jornalista teria sucesso no vídeo.Saia-justa foi a reação contida do júri à presença de Gugu Liberato, que também entrou em cena para receber troféu referente a premiações de anos anteriores. Protagonista do episódio mais grave que a TV enfrentou no ano passado - a farsa do PCC no Domingo Legal - Gugu já ia dizendo que "faz parte do ser humano errar e, quando a gente erra, a gente sofre", quando Silvio o interrompeu para entregar-lhe a estatueta. A categoria de apresentador/animador, aliás, não constou da lista deste ano. O item, que tem Faustão, Gugu e Hebe entre os finalistas mais freqüentes, fatalmente reacenderia, dentro de casa, o debate sobre a mesma farsa do PCC. Isso é que seria um constrangimento e tanto. A reação dos jornalistas à presença de Gugu foi ainda mais contida se comparada à calorosa receptividade do mesmo time a Hebe Camargo, que estivera naquele palco poucos minutos antes de seu colega e quase arrancou um selinho de um dos jurados. Em tempo: o programa ainda não tem data definida para ir ao ar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.