Trilhas benfeitas para Cinema e TV

Foi o próprio passado que bombardeou os ouvidos de Gui Amabis com influências musicais, fossem elas familiares ou não. "Apesar das referências, não tem como dizer que este trabalho é um disco de música africana, ou portuguesa, americana, árabe, jamaicana, nem mesmo brasileira", afirma o compositor. Ele está coberto de razão. Sem obviedades ou pieguices, usando o subentendido para escapar do literal, ele joga no mercado Memórias Luso/Africanas, uma das criações fonográficas mais bonitas que pintaram neste primeiro semestre de 2011. O que não significa extremo apego ou prioridades com o álbum neste ano. "É muito trabalho que chega. O que pintar eu vou fazendo."

Lucas Nobile, O Estado de S.Paulo

06 de maio de 2011 | 00h00

E os convites, naturais, têm aparecido com frequência. No momento, Amabis compôs um tema para o próximo disco do 3 na Massa - projeto encabeçado por seu irmão Rica Amabis, Puppilo e Dengue, ambos integrantes da Nação Zumbi.

Entre os próximos passos também está o terceiro disco de Céu, que ele começou a produzir. O álbum ainda não tem previsão de lançamento. Anteriormente, Amabis havia produzido ao lado da própria cantora e de Beto Villares o álbum anterior de Céu, o belo Vagarosa.

Para os desavisados, é bom lembrar que Gui Amabis não é nenhum paraquedista, muito menos um caroneiro no meio musical. Com a mesma turma, por exemplo, ele também já revelara outras maravilhas, integrando o Sonantes.

No campo do cinema e séries de televisão, o compositor ganhou experiência com Antonio Pinto, não apenas na concepção e na maneira de criar trilhas, mas também na pilotagem de programas de edição e boa parte do operacional de estúdios.

No cinema, Amabis escreveu as trilhas de filmes como Quincas Berro D"Água, com os temas Sonho Real (parceria com Beto Villares), Chora Curió (com Pepe Cisneros), Vitrola de Vanda e Bar do Alonso. Ele também deu suas voltas em Hollywood, compondo para longas como Estranha Perfeita (com Halle Berry e Bruce Willis no elenco), escrevendo com Antonio Pinto as faixas Grace, Secret Room e Ro & Hill. "O Antonio me convidou para ir para os Estados Unidos. Eu falava inglês, tinha morado um ano lá, quando meu pai teve de ir para os EUA para trabalhar", comenta.

O compositor também traz na bagagem outras trilhas estrangeiras, como do filme Senhor das Armas (Nicolas Cage como protagonista), com Antonio Pinto, em temas como Yakar Diamm (também composta por Céu) e Everything That Comes from the Earth. Anteriormente, ele já tinha escrito para uma produção mais obscura, Crónicas (de Sebastian Cordero), com La Marofa de Ivan. Na TV, o trabalho de maior destaque foi de Cidade dos Homens, com A Fila, feita com Dengue e Rica Amabis.

BAGAGEM SONORA

Quincas.

Além da trilha nacional, outras feitas no exterior.

Vagarosa.

Com Beto Villares e Céu, produção do CD da cantora.

Televisão.

Para TV, temas com Dengue e Rica Amabis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.