Três solos femininos reestréiam em SP

Três solos interpretados, dirigidos e criados por mulheres. Não é o único elo entre os espetáculos Metrô, A-Ma-La e Madrugada que reestréiam no Centro Cultural São Paulo. Interpretados, respectivamente, pelas atrizes Magali Biff, Adelvane Néia e Juliana Jardim, os monólogos têm em comum a comunicação direta com a platéia. "O olhar feminino e a idéia de ter o público como parceiro da criação é o ponto de interseção entre os três solos", observa Magali.O dia a dia de um usuário do transporte público é o universo explorado por Magali Biff no solo Metrô, escrito por Maria Cecília Carelli e dirigido por Maria Lúcia Pereira, que estréia amanhã e será apresentado sempre às terças-feiras. A talentosa Magali - que também pode ser vista no elenco de Abajur Lilás, de Plínio Marcos - desdobra-se em vários personagens, gente comum em sua rotina diária. Criado para espaços abertos, o objetivo é propiciar uma breve e divertida suspensão da rotina, pelo simples ato de vê-la refletida em cena.Em A-Ma-La - com apresentações às quartas e quintas -, Adelvane interpreta a atrapalhada e solitária palhaça Margarida, que chega ao teatro à procura do homem com quem marcara um encontro. Como ele não veio, a falante Margarida começa a conversar com estranhos sobre sua vida, numa narrativa que oscila entre a singeleza e o patético. O solo A-Ma-La foi criado em Campinas, sob direção da inglesa Naomi Silman, especialista na moderna linguagem do clown. Há três anos ela trabalha com o grupo Lume, da Unicamp.Juliana Jardim é autora e intérprete de Madrugada, "jogo cômico" dirigido por Dedé Pacheco que é apresentado sextas, sábados e domingos. O título do espetáculo é também o nome da personagem que inicia o solo saindo da cama e a ela retornando, no fim. Metaforicamente, percorre num dia diversos estados do homem, da infância à velhice, troca de sexo e nacionalidade.Madrugada. Texto Juliana Jardim. Direção Dedé Pacheco. Duração: 1 h. Sexta e sábado, às 21h30; dom, às 20h30. Até 24/6.A-Ma-La. Direção Naomi Silman. Dur: 75 m. Quarta e quinta, às 21h30. Até 21/6.Metrô. De Maria Cecília Carelli. Direção Maria Lúcia Pereira. Duração: 35 minutos. Terça, às 21h30. Até 19/6. R$ 10.Centro Cultural São Paulo - Sala Flávio Império. R. Vergueiro 1.000, tel. 3277-3611.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.