Três novos filmes chegam às locadoras

Chega sábado às locadoras o novo pacote da Cult, contendo Claire Dolan, de Lodge Kerrigan, Place Vendôme, de Nicole Garcia, e Quando Tudo Começa, de Bertrand Tavernier. Três filmes de temática e realização fora do mainstream comercial, como costuma ser o caso dos lançamentos da Cult. Claire Dolan é o nome da prostituta cuja vida é vasculhada no filme de Kerrigan, que trabalha na superfície dos fatos, evitando todo psicologismo. Não se trata de explorar o que pensa a profissional do sexo, forçada, pelo métier, a deitar-se com quem não deseja, mas retratá-la por seus atos. Kerrigan é diretor de tendências intelectuais e, diz-se, alimentado na fonte de Robert Bresson. O que significa despojamento estético, rigor no roteiro e na realização. E também precisão quando descreve um mecanismo do qual é difícil livrar-se. No caso, a prostituta, vivida por Katrin Cartlidge, que tenta abandonar a profissão, mas, aos poucos, se convence de que seria preciso mais que força de vontade para isso. Place Vendôme é uma incursão da diretora Nicole Garcia no drama policial. Catherine Deneuve faz a viúva de um joalheiro desonesto. Depois da morte do marido, ela se descobre proprietária de jóias valiosas, que deseja passar adiante. A trama policial, a bem dizer, parece bem fraquinha. Nicole, no entanto, consegue funcionar bem no plano da direção de elenco. Catherine talvez passe uma certa frigidez excessiva, mas esta é sua característica. Insinuar o vulcão que há sob o gelo é coisa para gênio, como Buñuel, que a dirigiu em A Bela da Tarde. Em todo caso, o filme tem clima. O que não tem é história que o sustente a contento.Já Quando Tudo Começa é o tipo de filme bem plugado na realidade. Baseia-se, aliás, em fatos reais. Bertrand Tavernier ouviu o relato do noivo de sua filha, professor de uma comunidade pobre no norte da França. Uma microssociedade carente que existe no interior daquilo que se convencionou chamar de Primeiro Mundo. Para discutir suas idéias, Tavernier criou a figura do professor Daniel Lefebvre (Philippe Torrenton), exercendo em uma cidade cuja principal atividade econômica era a exploração das minas de carvão.Era, porque fecharam e assim boa parte da população ficou desempregada, com todas as conseqüências decorrentes, mesmo em países que oferecem seguro-desemprego. Assim, o professor Lefebvre descobre que no vale-tudo contemporâneo a esfera didática não é suficiente. Extrapola suas funções de mestre e transforma-se em porta-voz das reivindicações da comunidade. Dessa maneira, Tavernier faz aquilo que se poderia chamar de drama social clássico, sem que isso nada tenha de chato, pelo contrário. Faz um cinema antenado com os temas da responsabilidade social, mas com extraordinária capacidade de prender a atenção do espectador.Serviço - Claire Dolan, de Lodge Kerrigan, Place Vendôme, de Nicole Garcia, e Quando Tudo Começa, de Bertrand Tavernier. Distribuição Cult Filmes, tel. 820-6670

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.