Trechos e fragmentos na coreografia de "Slice"

Na tradução para o português, apalavra inglesa ´slice´ ganha uma série de significações: fatias porções, pedaços, postas, entre outras. Todas elas com a idéiaimplícita da fragmentação. No espetáculo Slices, criado,dirigido, coreografado e interpretado por Renata Melo, estão emfoco lances triviais do cotidiano humano, numa abordagem detemas corriqueiros, como perda, amor, adolescência ematuridade. É a segunda vez que a peça, reapresentada amanhã,no Centro Cultural Banco do Brasil, chega ao público paulistano.Nela, Renata pinça fragmentos da vida a partir de experiênciaspessoais. "É quase autobiográfico", revela. "Embora sejapessoal, é um universo que fala sobre situações muito comuns aoutras pessoas. É um retrato da alma humana." Há tempos o cotidiano é alvo de investigações epesquisas pela diretora. Segundo ela, existe uma identificaçãopor parte do público com aquilo que se vê no palco. "É muitotrivial, mas a maneira como é tratado, com humor e poesia,torna-o um trabalho artístico." Slices envolve ainda elementos da metalinguagem, apartir do momento que discute a construção da linguagem doespetáculo a partir do espetáculo. "Infância, adolescência,maturidade, amor e perda. Isso tudo é construído com a próprialinguagem." Criado há dois anos, o espetáculo, que une dança etrabalho cênico, é fruto da fusão de dois antigos solos deRenata Melo: Slices of Life, que lhe rendeu o prêmio de melhorintérprete pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA),em 1991, e Receba as Rosas, eleito melhor roteiro em 1993,também pela APCA. "Slices of Life é uma expressão dapublicidade, quando se pega um trecho da vida da pessoa e otransforma em comercial", explica Renata, que repete a idéia emSlices. A coreógrafa já tem novo projeto em vista, que seencontra em fase de pré-produção e captação de recursos. Essetrabalho terá por base o texto A Caixa, escrito pela irmã,a escritora Patrícia Melo, especialmente para ela. "O textofala sobre a crise do artista durante seu processo de criação",explica Renata. A história traz uma escritora às voltas com arevolta de seu personagem. Ele ameaça abandonar a obra e nãoresta à escritora outra alternativa senão prendê-lo numa caixa.Renata enfatiza que a discussão não se restringe apenas à classeliterária. "É o que todo artista vive, as dúvidas durante oprocesso criativo." A peça ainda não tem data para estrear.Slices - Amanhã, às 19 horas. Centro CulturalBanco do Brasil. Rua Álvares Penteado, 112, São Paulo, tel.: 3113-3651. Até 13/11

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.