Trecho

"Muitos intelectuais aderiram ao fascismo apenas por oportunismo. Foi o caso de Luigi Pirandello, malgrado todo o esforço posterior (...) para justificar (...) seu engajamento. Até a Marcha sobre Roma, o dramaturgo se preocupou muito pouco com política, manifestando apenas alguma simpatia pelas tendências anarquistas dos Fasci de trabalhadores sicilianos, no início dos anos 1890 (...). Daí a escrever, como fez Pirandello em L'Idea nazionale para o primeiro aniversário da Marcha sobre Roma: 'Sempre tive a maior admiração por Mussolini e acredito ser uma das raras pessoas capazes de compreender a beleza de sua criação contínua da realidade' e procurar correspondências entre sua própria criação e a do Duce havia uma distância que o dramaturgo não teve nenhum

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.