Trecho da biografia de Tolkien

"Passado algum tempo, Tolkien se sente satisfeito por ter julgado com criteriosa justiça a prova e põe-na em cima da pilha à direita, antes de pegar outra da esquerda. Durante mais alguns minutos, lê as páginas de abertura dessa nova dissertação, e depois, virando a página, surpreende-se ao ver uma folha de papel em branco. Fazendo uma pausa, só por um instante, e sentindo-se como recompensado por suas labutas do dia - menos uma folha para corrigir -, encosta-se na cadeira e olha o escritório em volta. De repente, seu olhar é atraído para o tapete perto de uma das pernas da mesa. Nota um minúsculo buraco no tecido e fita-o por um longo momento, devaneando. Então, volta-se para o trabalho e começa a escrever: "Num buraco no chão, morava um Hobbit"...Embora Tolkien não tivesse a mínima idéia por que escreveu isso, e menos ainda conhecimento de quanto esse extravasamento do inconsciente iria significar para ele, a família e o futuro da literatura inglesa, sabia que com aquela única frase escrevera alguma coisa interessante, tão interessante na verdade que depois será inspirado, como disse mais tarde, "a descobrir como são os hobbits".E naquele momento, de uma única frase, possivelmente gerada pelo tédio, que talvez estivesse há muito tentando encontrar expressão, veio o ímpeto que levaria à criação de O Hobbit e O Senhor dos Anéis. Junto com O Silmarillion e uma vasta coleção de notas variadas sobre a mitologia da Terra-Média, sua obra iria, na plenitude dos tempos, tornar-se tão famosa em âmbito global, dar prazer e oferecer inspiração a milhões, e desempenhar um papel crucial na criação de todo um gênero literário, o da ficção de fantasia."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.