Travolta é processado por homem que alega supostos encontros gays

Um homem de Los Angeles que escreveu um livro sobre seus supostos encontros homossexuais com John Travolta entrou com um processo por difamação contra o ator e seu advogado.

REUTERS

22 de junho de 2012 | 08h58

Robert Randolph alegou que Travolta e seu advogado Martin Singer espalharam declarações falsas sobre sua saúde mental em 2010, em uma tentativa de dissuadir o público de comprar o livro. O advogado de Randolph está buscando danos não especificados na ação legal registrada na Corte Superior de Los Angeles.

Singer chamou o processo de Randolph de "absurdo", dizendo que era baseado em uma carta privada ao editor de um blog de fofocas e era "completamente privilegiado pela lei".

"Nós pretendemos processar os advogados por acusação maliciosa após a corte ter prontamente dispensado este processo sem fundamento", disse o representante legal de Travolta em um comunicado.

O livro de Randolph, "You'll Never Spa in This Town Again", foi finalmente publicado em fevereiro de 2012, três meses antes de dois massagistas não identificados entrarem com processos por assédio sexual contra Travolta, a estrela de "Grease" e "Embalos de Um Sábado à Noite".

O porta-voz do ator chamou as acusações de "completas ficções" e ambos os acusadores abandonaram rapidamente as ações legais em maio, após dúvidas serem lançadas sobre os detalhes dos supostos encontros.

Travolta é casado com a atriz Kelly Preston desde 1991.

(Reportagem de Jill Serjeant)

Tudo o que sabemos sobre:
GENTETRAVOLTAPROCESSO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.