Transeunte trata do recomeço da vida

Eryk Rocha estava no Festival de Cannes, mostrando seu curta Quimera. O cerimonial de Cannes o impressionou. O glamour do tapete vermelho, os astros e estrelas, a multidão. Foi ali que começou a nascer o longa que estreia hoje. Transeunte surgiu da sua vontade de fazer um contraponto ao que estava vendo. Eryk quis olhar o mundo do ângulo de um anônimo. Não faria sentido para ele fazer seu filme em Cannes. Ele trouxe o personagem para o Rio.

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2011 | 00h00

Ele admite que reviu o clássico Umberto D, de Vittorio De Sica, mas não foi uma influência. Nem sabia de O Quarto, de Rubem Biáfora, que tanto entusiasmou seu pai, Glauber Rocha, sobre outro velho cujo mundo desmorona. O protagonista de Transeunte, pelo contrário, encontra seu caminho e se transforma.

Muita gente se surpreende porque Eryk, tão jovem, fez um filme sobre um velho. "Não é um filme sobre o fim, mas sobre um recomeço", ele adverte. Durante boa parte do tempo, o personagem caminha pelo centro do Rio. "É um Ulisses sem destino", arrisca o repórter - ele gosta da definição. Seu olhar não é só sobre o personagem, é sobre a cidade que também se transforma. Uma súmula dessas mudanças pode ser acompanhada da janela do apartamento em que ele mora.

Transeunte quase não tem diálogos, mas Eryk destaca a importância do som e da trilha. Sua irmã, Ava, que montou Transeunte, contribuiu muito para a pesquisa sonora. "Ela é cantora e compositora", Eryk lembra.

Foi um trabalho muito criativo de Ava, do compositor Edson Secco e de Fernando Catatau, que fez o desenho sonoro. O ator Fernando Bezerra foi fundamental. Eryk queria alguém que não fosse muito conhecido do público. Gregório é ator de teatro. Foi uma indicação de Walter Salles - fez um papel em Linha de Passe. "Quando fiz o teste com ele, percebi imediatamente que minha busca tinha acabado. O transeunte ganhou uma face."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.