Tranqüilidade do interior, no teatro

A vida pacata do interior éretratada em Nossa Pequena Cidade, peça de Ewerton de Castroque estréia amanhã no Teatro Cultura Inglesa. O diretorinspirou-se no texto Nossa Cidade, de Thorton Wilder."Assim que concluí meu texto, enviei aos agentes de Wilder, nosEstados Unidos, que reconheceram ser um texto próprio, portanto,não temos de pagar pelos direitos autorais", diz Castro. Nossa Pequena Cidade, assim como a peça americana,faz menção à vida em cidades interioranas, distantes da agitaçãodo dia-a-dia. Castro montou a peça há sete anos com base nahistória de Sorocaba. "Fizemos um levantamento de dados. Agora,faremos a mesma seqüência de fatos marcantes da época, sem citara cidade." A história ocorre entre os anos de 1901 e 1918."Discutimos as relações humanas a partir do cotidiano daspessoas da cidade, resgatamos os sentimentos e a ética nasrelações, atualmente tão banalizadas. Hoje não se estabelecevínculos", explica o ator Flávio Guarnieri, que interpretaJorge. Para entrar no clima de época, os atores fizeram umestágio na pequena cidade de Pereiras, local que ainda preservatranqüilidade e respeito. "Acordávamos às 4 da manhã,ordenhávamos vacas, capinávamos na roça, enfim, adotamos arotina do local", explica o diretor. Já Guarnieri lembra abusca por fotos e filmes do período. "Fizemos uma pesquisa naCinemateca, colhemos imagens de aniversários e confraternizações esta foi a base para elaborar o figurino", diz o ator. São 62trajes completos, dos chapéus aos sapatos, sob aresponsabilidade de Telumi Helen. Já o cenário explora a imaginação do público. Em cena,apenas duas mesas, duas escadas e duas cadeiras. "Os objetossão marcados nas cenas, as demais situações são representadas,como o café da manhã ou até mesmo a presença de uma mula, sempremencionada na peça. E esse tipo de situação é muito legal, exigedo ator uma mímica incorporada a forma de representar", contaGuarnieri. De acordo com Castro, essa ausência de objetos foiproposital. "A idéia é acabar com o vício da representação dosatores. Fugimos da teatralização, buscamos a representação darealidade." O naturalismo foi a tônica da montagem de "NossaPequena Cidade". A proposta foi trazer o universo do campo utilizando umtipo de interpretação que valoriza a espontaneidade. "Assimcomo o pessoal do Grupo Tapa, buscamos uma representaçãonaturalista, como se os atores não estivessem em um palco. Umaatuação sincera, sem caricaturas." Nossa Pequena Cidade é parte de um projeto, que levaatores recém-formados da escola de Ewerton Castro ao palco,sempre ao lado de atores experientes.Serviço - Nossa Pequena Cidade. Texto e direção Ewerton de Castro. Dequarta a sábado, às 21 horas; domingo, às 19h30. R$ 12,00.Teatro Cultura Inglesa. Rua Deputado Lacerda Franco, 333, tel.(11) 3032-4888. Até 22/12.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.