Richner Allan
Richner Allan

Todas as artes de Nóbrega

Artista múltiplo da cultura popular brasileira e nordestina, ele tem seus trabalhos reunidos em mostra, encontros, shows e encenações

Lauro Lisboa Garcia, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

03 de abril de 2013 | 02h11

Música, dança, teatro, mímica, circo, poesia e alguns etcéteras. Para o multidisciplinar artista pernambucano Antonio Nóbrega, não há fronteiras dentro da cultura popular. Para celebrar os 40 anos de carreira e os 60 de idade desse ator, dançarino, compositor, cantor, poeta e instrumentista, todos esses aspectos de sua arte estarão reunidos na Ocupação Antonio Nóbrega, no Itaú Cultural, com curadoria do cineasta paraibano Walter Carvalho. A abertura para o público é amanhã e o evento fica em cartaz até o dia 19 de maio.

Carvalho idealizou uma instalação que é um túnel da memória artística de Nóbrega, sem ordem cronológica, abordando "seu universo simbólico, onírico, gráfico, pictórico, lúdico, teatral musical, por meio dos elementos utilizados no trabalho dele, como cenários, figurinos, máscaras, partituras, pinturas, instrumentos musicais e objetos de cena". "Criei uma leitura a partir disso. Quem está na frente é o Sidurino, que apresenta outros personagens dele, como Tonheta e outros que ele representa", diz o curador.

Leia Também

Suspense Tropical

Esse túnel vai dar numa praça (que representa o teatro do Instituto Brincante, criado por Nóbrega), onde haverá exibições dos três filmes documentais que o cineasta realizou com o artista - Lunário Perpétuo, Nove de Frevereiro e Naturalmente -, além de ter o próprio Nóbrega ao vivo em encontros para bate-papo sobre sua arte. Em outros espaços, ele vai estar presente em rodas de dança, show musical, encenação teatral e aula-espetáculo.

Diretor de fotografia de clássicos recentes do cinema brasileiro, como Central do Brasil, Abril Despedaçado, Carandiru e Lavoura Arcaica, Carvalho já era admirador do trabalho de Nóbrega antes de se tornarem amigos. "Fiquei honrado com o convite para a curadoria, mas não foi fácil, porque tem muita coisa para mostrar. Procurei revelar o universo desse o homem de sete instrumentos, que reúne tanta coisa interessante", diz Carvalho.

Para ele, Nóbrega é um misto de Buster Keaton com Charlie Chaplin, e ao mesmo tempo é Pedro Malasartes. "Tem aquela coisa do Nordeste de uma forma que transcende o popular, pura e simplesmente. É uma pessoa que constrói com esses elementos uma identidade brasileira, que é representativa como Villa-Lobos, Garrincha, Mario de Andrade, Guimarães Rosa", diz.

"Walter tinha olhar mais aguçado do que o meu para uma tarefa dessa natureza", diz Nóbrega. O Instituto Brincante, que possui importante papel educacional, "tem sido um referencial da cultura brasileira, com um recorte da cultura popular, que a meu ver é ainda mal compreendida", diz o artista. "O próprio nome já faz com que seja colocada num gueto, mas a gente tem uma visão diferente disso", diz Nóbrega. "Acho que ela é uma linha de tempo cultural, como existem outras, europeias, orientais e de outras partes do mundo, e que tem uma história. Capoeira, frevo, samba não nascem espontaneamente nem da noite para o dia. Tudo isso tem um processo geracional e de construção que é muito rico e interessante para a gente entender o Brasil."

Nóbrega pretende voltar à música, mas ainda sem previsão de data. "Nos últimos quatro anos meu território maior de atuação tem sido a dança, embora eu tenha apresentado recentemente um espetáculo dedicado a Luiz Gonzaga", diz. Esse concerto camerístico em homenagem ao centenário de nascimento do Mestre Lua (celebrado em 13 de dezembro de 2012) pode eventualmente ser transformado em disco, uma vez que, como Nóbrega confirma, "sua música é eterna, atemporal".

Para Carvalho, Nóbrega, que tem formação musical clássica, "não pegou o popular como Gonzaga, ele transcendeu ao erudito". "Agora, na medida em que ele transcende para o erudito, ele não perde as raízes dessa cultura popular, mas atinge o contemporâneo." Carvalho acabou de realizar um longa-metragem que não é exatamente uma biografia do artista, mas conta sua história por meio de suas múltiplas linguagens artísticas. A previsão de estreia nos cinemas é para o segundo semestre.

OCUPAÇÃO ANTONIO NÓBREGA

Itaú Cultural. Av. Paulista, 149, 2168-1776. De 3ª/6ª, 9h/20h; sáb., dom., feriado, 11h/20h. Até 19/5

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.