Toda a transgressão de secos & molhados

Depois de lançar hoje Acabou Chorare, dos Novos Baianos, no próximo domingo chega às bancas Secos & Molhados, pela Grande Discoteca Brasileira Estadão. Como de costume, o sétimo volume da coleção tem mais um disco histórico, acompanhado de um livreto de aproximadamente 60 páginas, contendo informações sobre o álbum, a carreira do grupo, ficha técnica, fotos raras, além do contexto cultural, político e social, e discografia relacionada.

, O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2010 | 00h00

Lançado originalmente em 1973, o disco do grupo formado por Ney Matogrosso, João Ricardo e Gerson Conrad já nasceu clássico, vendendo em um mês 300 mil cópias e, a exemplo de Acabou Chorare, perdura com uma força descomunal e moderna até hoje.

Além disso, o trio transformou-se em um fenômeno de atitude na época. Com o cerco do regime militar desfilando suas barbaridades, os três apresentavam shows - e capas de disco - ultra performáticos, com os peitos cabeludos à mostra, rostos pintados, purpurinados, saltitando nos palcos envoltos em plumas. Era um chacoalhão nas caretices dos falsos moralistas e nas ignorâncias da ditadura.

Se fosse apenas pela postura transgressora, o grupo já garantiria seu lugar no panteão dos imortais da música popular brasileira. Porém, o Secos & Molhados não se limitava aos rebolados e às poses provocantes de Ney Matogrosso. Musicalmente, a banda revelou-se extremamente criativa neste disco homônimo de estreia, passeando por diversos gêneros e estilos.

Com produção de Moracy do Val, arranjos coletivos, e todas as letras assinadas por João Ricardo (em parcerias com Paulo Mendonça, Luli, João Apolinário, Solano Trindade, Gerson Conrad e Cassiano Ricardo), além dos poemas musicados Rosa de Hiroshima, de Vinicius de Moraes, e Rondó do Capitão, de Manuel Bandeira, o trio escandalizou o País com temas que se tornaram verdadeiros hinos.

Entre as treze faixas, as antológicas Sangue Latino, O Vira, O Patrão Nosso de Cada Dia, Primavera nos Dentes e Fala, esta última com arranjo de Zé Rodrix.

Depois do LP de estreia, o grupo lançou outro disco no ano seguinte e depois se separou. Entre os integrantes, o único a conseguir deslanchar uma carreira-solo bem sucedida foi Ney Matogrosso, até hoje um dos maiores intérpretes do Brasil.

SECOS & MOLHADOS

Secos & Molhados

R$ 14,90

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.