Tobogãs unem arte e diversão na galeria Tate Modern

A arte se transforma em jogo na galeria Tate Modern de Londres, com uma instalação espetacular e digna de um parque de diversões, de Carten Hoeller. A partir da semana que vem o público poderá interagir com os cinco grandes escorregadores que descem em ziguezague de diferentes alturas no enorme espaço da chamada Sala de Turbinas. Nesse velho edifício industrial, convertido em galeria de arte moderna mais visitada do mundo, Hoeller instalou tobogãs tubulares de teto transparente que descem como serpentinas de níveis de altura diferentes. Hoeller é um artista conceitual belga residente na Alemanha, para quem a fusão de arte e arquitetura poderia animar as cidades do futuro.O diretor da galeria, o espanhol Vicente Todolí, explicou à EFE que "Test Site" é uma "intervenção no espaço da galeria que toma como referência um elemento de jogo, mas também uma forma de transporte alternativo". "Combina elementos ´retrô´, dos velhos parques de diversões com elementos futuristas", disse Todolí, que destacou também seu caráter participativo.Sentados em sacos de lona os visitantes poderão deslizar, até o dia 9 de abril, pelo escorregador principal, que começa no quinto andar, a velocidades que podem alcançar os 48 quilômetros por hora, segundo antecipa hoje o jornal "The Sunday Times". É o maior deles, com comprimento de 55,5 metros e uma altura de 26,5 metros desde o quinto andar até o chão.Três dos tobogãs saem de dos principais andares da galeria (terceiro, quarto e quinto), enquanto os outros dois, de 16 metros de comprimento e altura de 7,5 metros, saem do segundo andar, seguindo direções opostas.A instalação de Hoeller se inscreve na chamada sérieUnilever da Tate, por ser a empresa que patrocina essesprojetos espetaculares, que contam com a colaboração de artistas como Juan Muñoz, Olafur Eliasson, Louise Bourgeois, AnishKapoor, Bruce Nauman e Rachel Whiteread.Hoeller, que chamou a atenção do público no início dos anos 90 com uma exposição de máquinas "matar crianças", com um balanço fixado na borda de um terraço de um edifício muito alto, trabalha com tobogãs como meio de transporte desde 1980.Um dos mais famosos é o que desenhou para o escritório da grife Prada, em Milão, na Itália, para que a empresária Miuccia Prada possa deslizar diretamente de seu escritório para o seu carro. Mas Hoeller acredita que pode ter aplicação em todo tipo de construções, tendo inclusive desenhado um edifício futurista formado inteiramente por tobogãs.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.