TNG encerra noite com Taís Araújo e Lázaro Ramos

Casal de atores fez várias entradas e ofuscou outros modelos no desfile da grife na Fashion Rio

Roberta Pennafort,

10 de janeiro de 2008 | 23h10

A noite de quinta-feira da Fashion Rio foi fechada pela sempre aguardada TNG. Depois de trazer Daniella Cicarelli, Raica, Naomi Campbell e a miss Natália Guimarães ao Fashion Rio, o estilista Tito Bessa convidou o casal-namoradinho-do-Brasil Taís Araújo e Lázaro Ramos para serem estrelas de sua coleção. Num dos looks, Lázaro surgiu com um terno escuro sobre camisa verde-limão, cheio de charme. Depois, veio Taís, com uma composição que não a valorizou: blusa rosa, casacão e saia marrons. Quem esperava a Taís linda e decotada de sempre se decepcionou. Sorridente e saudado pelo público, o casal de atores ainda fez outras entradas, sempre ofuscando os outros modelos. O inverno da TNG é ultracolorido, estilo "cheguei". Um arco-íris que aparece em ternos, coletes, gravatas, vestidos, blusas, cintos e bolsas. A coleção apostou na alfaiataria, em suéteres em tons cítricos e em calças ajustadas. Vez ou outra, os abotoamentos apareceram deslocados. Até macacão de frentista teve vez. O grand finale foi com Taís e Lázaro de quimonos japoneses, ladeando Tito Bessa. Lázaro chegou a fazer uma brincadeira com os fotógrafos e cinegrafistas - fingiu que daria a meia-volta antes do fim da passarela; depois voltou e terminou sua passagem. Ele pode.  No desfile anterior, da Drosófila, a proposta era misturar, misturar, misturar. Estampas de flores e xadrez, franjas em degradê e bordados mil desfilaram na passarela da marca, que se guiou pela idéia da alquimia. "É alquimia no sentido de você interferir quimicamente na estampa, o que faz com que ela oxide, clareie. Cada uma reage de uma forma diferente", filosofa a estilista Dayse Soares. Eram tantos elementos ao mesmo tempo que alguns modelos ficaram over. Os melhores momentos foram os vestidinhos mais contidos, com poucas cores e silhueta anos 20.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.