Titã vira colunista de forno e fogão do "Estado"

Mesmo fazendo a ponte-aérea São Paulo-Lisboa duas vezes por mês, o guitarrista dos Titãs Marcelo Fromer, de 38 anos, está mais ativo do que nunca. Assina colunas diárias na Internet e já desenvolve outros dois projetos para a rede. Mas não apenas isso. Fromer ainda arruma tempo para apresentar uma coluna semanal de esportes na TV, no canal SporTV, para cuidar da pizzaria Campana, da qual é sócio, e de sua importadora de vinhos portugueses, a Garrafeira. A nova empreitada é a coluna semanal de crítica gastronômica Você Tem Fome de Quê?, que ele estréia hoje no Estado (veja link abaixo), como parte da seção O Melhor de Tudo. Apesar da modéstia, Fromer é cozinheiro de mão cheia. O resultado da sua paixão pela culinária está no livro Você Tem Fome de Quê?, lançado no ano passado pela DBA e que empresta o título à nova coluna do Caderno 2. Segundo o autor, a obra tem receitas variadas, que mostram "o Brasil pela boca" e revelam um pouco das andanças culinárias, durante 18 anos de estrada de Titãs. Delícias - Por meio de um texto saboroso, Fromer conta suas experiências em restaurantes pelo Brasil afora. São pratos regionais de 25 casas, de 16 cidades brasileiras. Entre as delícias apresentadas, estão o risoto de perdiz com castanha, do chef Luciano Boseggia, do Cardinale, e o robalo Don Pepe, do Don Curro. Com texto de orelha escrito pelo amigo, e integrante do grupo, Tony Belloto, o livro ainda traz algumas músicas dos Titãs e suas harmonias cifradas, em `Toque as Músicas e Faça as Receitas´. Precoce - De família judia, o músico aprendeu cedo os prazeres da boa mesa. "Para mim, a comida sempre esteve relacionada às festas, rituais e eventos", afirma. "Ainda me lembro das delícias que minha avó Rebeca preparava", conta, referindo-se aos bolinhos de açúcar e outros quitutes que ela cobria para depois surpreender os netos. Mas, segundo o gourmet, seu verdadeiro aprendizado ocorreu num curso intensivo de dez anos com o avô Emanuel Martinelli, a quem ele dedicou o livro. Apreciador de uma culinária mais rústica, o pai de Susi, Alice, Max e Mila diz que suas preferidas são a italiana clássica, a lionesa, a portuguesa, com certeza, a àrabe, a judia, a indiana, a chinesa... Já o vinho eleito é o português Shiraz Cortes de Cima 98. "Conheço melhor os vinhos portugueses", admite. Foi durante suas viagens com a banda que Fromer desenvolveu alguns critérios de escolha: "Se tiver dúvida quanto à qualidade da comida, faça uma visita à cozinha", diz. E continua: "Pedir a indicação de um amigo gourmet também ajuda, mas o importante é estar disposto a descobrir novos sabores."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.