Tiazinha vira heroína de HQ

Suzana Alves ataca novamente de heroína da lingerie, mas desta vez, bem longe da TV. Ainda mascarada, mas com menos roupa ainda, Tiazinha invade as histórias em quadrinhos. E, pasmem, usando uma dublê de corpo. Tudo isso no fotogibi As Aventuras Eróticas de Tiazinha (R$ 6,40), que chegou ontem às bancas.Publicação criada em parceria com a revista Playboy e com projeto gráfico da Fábrica de Quadrinhos, a publicação tem 28 páginas e mistura a linguagem de HQ e da fotonovela com recursos de computação gráfica em 3D.Na novelinha erótica, a musa do chicotinho enfrenta o vilão Conde Crápula e suas assistentes, interpretadas pelas moças do trio musical As Felinas. Em uma das partes mais picantes da fotonovela - proibida para menores de 18 anos - Suzana recorreu a uma modelo para fotografar em seu lugar. O motivo: sentiu-se envergonhada!Ela teria de fazer uma cena de sexo com o tal Conde Crápula para depois roubar uma fórmula secreta. "Fiquei constrangida pois na foto eu teria que ficar seminua sobre o garoto", diz pudica. Suzana, as três garotas e o vilão foram fotografados em fundo neutro e depois tiveram suas imagens compostas com as criações dos desenhistas da Fábrica - que já havia trabalhado com a musa sexy no programa As Aventura de Tiazinha, exibido pela Rede Bandeirantes, em 1999, sem muito sucesso.O fotogibi é, na verdade, uma versão impressa do programa. O mesmo baixo índice de conteúdo temperado com cenas sensuais. "Acreditamos que foi pela pouca exploração da sensualidade de Suzana que o programa não vingou", pondera a produtora Carol Civita, idealizadora do projeto ao lado da empresária Betty Prado e da própria Tiazinha.Para sanar esta "falha", no fotogibi, os dotes da moça foram devidamente explorados. Quem achou que Tiazinha apelou na televisão vai descobrir que ela pode ser ainda mais ousada. Se depender do bem-sucedido histórico da parceria Tiazinha-Playboy, Suzana não está enganada ao apostar no projeto. "Nas duas vezes que ela posou para a revista, o número de vendas foi altíssimo. Por isso acho que foi um bom investimento", garante produtora Carol. A primeira participação de Suzana na Playboy, em março de 1999, vendeu 1,223 milhão de exemplares - tirando o primeiro lugar de Adriane Galisteu, que desde 1995 reinava com 1 milhão de exemplares vendidos. Hoje o recorde é de Joana Prado, com 1,234 milhões de revistas na edição de dezembro de 1999. Se o primeiro número de As Aventura de Tiazinha emplacar, a saga da heroína erótica ganhará edições trimestrais. Curiosos podem ver o making off da produção no site da Playboy (www.playboy.com.br).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.