Thomas Cohn traz vanguarda inglesa a São Paulo

Para traçar um panorama parcial do que está sendo produzido na capital inglesa, a galeria Thomas Cohn organiza Zig Zag - Conexão Londres. Treze artistas plásticos mostram o que muitos apostam ser as novas tendências das artes plásticas de 2001. Liz Arnold, Olof Bjornsdottir, John Chilver, Vicent James, Klega, Kenny Macleod, Eline Mcgeorge, Paul Morrison, Eva Rothschild, David Thorpe, e os brasileiros Tonico Auad e Erika Versutti têm em comum a formação na Gold Smith College, a mais conceituada Faculdade de Artes Plásticas da Inglaterra. Apenas o italiano Eurico David foge à regra. No entanto, todos residem em Londres e são destaques nas principais mostras internacionais. Para o curador Grant Watson, a exposição "ziguezagueia" várias linguagens na pintura, agenciando um prolongamento do campo de interação entre os muitos gêneros que compõem a diversidade da prática artística contemporânea na Grã-Bretanha. Por isso, haverá desde desenhos animados, colagens a instalações em carpete. Tudo tendo como base a pintura. "Achamos que neste momento as proposta mais interessantes estão em Londres", afirmou o galerista Thomas Cohn, que já agendou para 2001 outras três exposições com está mesma dinâmica. Tonico Grang volta em uma individual em março, depois John Chilver em maio e os irmãos Jake e Dinos Chapman em agosto. Na verdade, a exposição será uma chamada do que será visto nos próximos anos, afirmou Cohn.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.