Thielemann, um possível sucessor?

Entre os tiranetes da batuta, Christian Thieleman é candidato com chances reais. Nasceu em Berlim em 1959. Aos 19 anos, foi assistente de Karajan na Filarmônica de Berlim. Pontos a favor: é raivosamente conservador, como seu guru, e autor da frase "a luxúria da liberdade é um grande problema"; além de Karajan, seu maior ídolo é o rei Frederico II, o Grande, da Prússia; em 2000, disse a propósito da saída de Daniel Barenboim da Ópera de Berlim: "É o fim da missa judaica em Berlim". Mais recente lançamento em DVD e Blu-Ray: uma integral das sinfonias de... Beethoven pela Unitel, a empresa fundada por Karajan. São três Blu-Rays, cada um com três sinfonias. O terceiro, por exemplo, com a 7ª, 8ª e 9ª sinfonias, tem 326 minutos de duração: 157 de música e 169 minutos de uma longuíssima arenga sobre Beethoven. Titular da Filarmônica de Munique entre 2004 e 2011, assumirá a direção musical da Staatskapelle de Dresden em 2012.

João Marcos Coelho, O Estado de S.Paulo

14 de agosto de 2011 | 00h00

Seu repertório preferencial fala por si: Beethoven, Richard Wagner, Carl Orff, Richard Strauss e Hans Pfitzner. Um ponto contra: apesar de reger em Bayreuth e grandes orquestras internacionais, é um maestro apenas mediano, ao contrário de seu guru Karajan, um fantástico talento com a batuta. Correm por fora, porém com alguma chance: Riccardo Muti e Valery Gergiev.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.