Thiago Lacerda, do palco aos tribunais

Thiago Lacerda primeiro deu um salto em direção ao cinema, atuando ao lado de Letícia Spiller no longa A Paixão de Jacobina. Agora, o gatão global desfila sobre os muros do teatro, estrelando a peça O Círculo das Luzes. É a primeira vez que Lacerda participa como produtor, além de atuar. O espetáculo tem direção de Ulysses Cruz, e estréia amanhã no Teatro Maison de France, no Rio de Janeiro. A tragicomédia traz também o ator Pedro Paulo Rangel interpretando o texto de Doc Comparato. Além da peça, e do filme - agora em fase de lançamento -, Lacerda ainda tem de se dividir entre as gravações de O Beijo do Vampiro, novela das sete de Antônio Calmon, que estréia na Globo dia 26. Na trama, ele viverá o Conde Rogério, um personagem medieval, e Beto, um homem de nossa época. Lacerda também pode estrelar outra produção global. Ele foi convidado a participar da minissérie As Sete Mulheres. Resta agora estudar o papel e assinar o contrato. E se o ator tem fôlego para tanto trabalho, por que os seus advogados não teriam? Lacerda acabou de ganhar na Justiça o processo que movia contra o apresentador Leão Lobo, da Rede Bandeirantes. Lobo teria questionado em seu programa Melhor da Tarde, a opção sexual do ator. O processo contra Gugu Liberato, que segundo os advogados do ator teria leiloado uma sunga qualquer dizendo que era de Lacerda, ainda não acabou. O advogado de Gugu pediu a tranferência do caso para a comarca de São Paulo - o processo foi aberto no Rio -, o que foi negado. Gugu ganhou mês passado, em São Paulo, o processo movido pelo comprador da sunga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.