The Who é destaque `na lama´ de Glastonbury neste domingo

Sensação britânica Kaiser Chiefs é uma das atrações deste domingo do festival

Agencia Estado

25 Junho 2007 | 15h41

A banda veterana The Who é o destaque deste domingo, 24, em Glastonbury, o maior festival ao ar livre de música e artes do mundo, em uma região rural transformada em um campo de lama devido às chuvas persistentes. Tratores espalharam palha e gravetos para tentar manter o terreno seco, mas os participantes, vestindo ponchos coloridos e botas de borracha, pareciam não se incomodar. "Está muito bom, apesar da chuva, apesar da lama", disse neste domingo Michael Eavis, fundador do festival. "Acredite ou não, a drenagem funcionou, o show compensa o clima. O sol não é tudo." Entre outras grandes atrações do terceiro e último dia do festival de Glastonbury estão a sensação britânica Kaiser Chiefs, os roqueiros do Manic Street Preachers, a banda californiana Cold War Kids, The Gossip (de Arkansas) e a diva Shirley Bassey. Lama Mais de 1.200 dos 177.500 participantes haviam sofrido ferimentos até este domingo, a maioria com torções e machucados devido a quedas causadas por escorregões na lama na fazenda de Eavis, no sudoeste da Inglaterra, fundada nos anos 1970 como um paraíso hippie. A polícia disse que um homem de 26 anos morreu com suspeita de excesso de drogas e que, apesar do número bem maior de participantes do que em 2006, foram registradas muito menos prisões. As detenções foram em sua maioria relacionadas a drogas e foram registrados apenas 31 roubos. Havia previsão de chuva para todo o restante do festival, mas os organizadores disseram que a situação ficaria muito pior sem o novo sistema de drenagem, que custou 199 mil dólares, e sem outras precauções tomadas por Eavis, de 71 anos. "Eu estava completamente despreparada para a experiência em Glastonbury", disse a cantora norueguesa Lawra Somby, do grupo Adjagas, que teve que andar descalça pela lama por não ter sapatos adequados, antes de calçar botas e vestir uma capa de chuva. Kate Moss Os The Killers fecharam o segundo dia de festival na noite de sábado com uma apresentação de uma hora e meia que deixou muita gente pedindo mais. Diante de um show pirotécnico, o grupo tocou alguns de seus maiores sucessos, como All These Things That I´ve Done e Smile Like You Mean It. O bad boy Pete Doherty, namorado de Kate Moss, e sua banda Babyshambles fizeram um show popular. Moss participou cantando como backing vocal. O grupo Dirty Pretty Things, com Carl Barat, ex-companheiro de Doherty na banda Libertines, fez sua estréia em Glastonbury e foi muito aplaudido, depois de mostrar faixas como Gin and Milk. Barat acabou com o rumor deste ano sobre uma possível reunião do Libertines para tocar no festival. "Adoraria tocar com Pete algum dia", disse. Enquanto o The Killers tocava, a lenda do rock Iggy Pop e The Stooges apresentavam-se no outro palco. Iggy, com sua tradicional rebeldia, convidou um fã a subir no palco, o que acabou fazendo com que mais de 400 também subissem. Paul Williams, guarda do evento, disse: "Iggy quebrou as regras". Os fãs foram retirados do palco; durante a invasão do palco, a guitarra Fender de Ron Asheton foi roubada e um homem foi preso por gesto indecente.

Mais conteúdo sobre:
The Who Glastonbury

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.