The Hall tem cozinha correta e versátil

O gostoso The Hall acrescentou nos fins de semana um ?oyster bar? ao restaurante gostoso, moderno e com uma cozinha das mais versáteis, que tem nos frutos do mar as suas maiores atrações. O restaurante é muito bem bolado. Quem ultrapassa a porta de madeira da entrada tem uma pequena surpresa ao deparar com o grande salão quadrado num plano inferior. Na entrada, um pequeno ambiente, onde o balcão de ostras é montado à noite e depois a escada que leva ao espaçoso salão, com um imponente bar numa das laterais, bandeiras chinesas estilizadas numa das paredes e um grande aquário ao fundo. Ambiente claro, gostoso, que parece funcionar mais à noite. De quarta a sábado, música ao vivo. As ostras de Santa Catarina, de tamanho médio, são mesmo saborosas, salgadas, com o toque iodado do mar. A casa garante que elas chegam de avião todas as sextas-feiras. Pelas que provei, não há razão para duvidar. Elas custam R$ 25 a dúzia e, nos almoços de sexta, sábado e domingo, ficam expostas num berço de gelo no jardim de entrada. A cozinha do The Hall é muito peculiar, desafia definições. Embora não seja espetacular, costuma agradar, pois os pratos são corretamente executados pela chefe Ariete Ribeiro, que ainda é jovem, formou-se no Senac em 2000, fez estágios com vários cozinheiros de renome e trabalhou no Villa Rossa, um hotel de luxo em São Roque. Os donos da casa têm ascendência chinesa e Ariete também gosta de receitas com toques orientais, como o atum com crosta de gergelim com molho de soja, que hoje pode ser classificado como um dos pratos da moda, está presente em muitos cardápios. A idéia é ?selar?, tostar rapidamente no fogo bem forte, a superfície da posta de atum, deixando o interior cru e saboroso. Alguns usam um maçarico para tostar o peixe. O atum do The Hall algumas vezes passa do ponto, fica meio massudo (R$ 35). Um dos melhores pratos da casa é, sem dúvida, o sea salad. Várias folhas com um molho gostoso, alface, cenoura ralada, cebola roxa e frutos do mar grelhados (anéis de lula, camarões e vieiras deliciosos). Uma salada rica, gostosa (R$ 18). Ariete parece gostar dos risotos, que acompanham vários de seus pratos e costumam agradar. O robalo grelhado, por exemplo, veio com um delicioso e rico risoto de frutos do mar (R$ 35). Melhor o risoto que o peixe. Com o ocean, um grelhado misto de frutos do ar, é servido com um risoto de champignons. Uma posta de robalo, camarões, lulas (deliciosas) e vieiras e o risoto (R$ 35). O ravióli negro recheado com salmão precisa acertar alguns detalhes. Massa espessa demais, meio grosseira e molho branco gostoso, com um apropriado toque de limão. Ariete costuma fazer com muita propriedade as perdizes assadas e servidas no próprio molho (R$ 25) e ainda as costeletas de cordeiro grelhadas e servidas sobre um leito de vegetais também grelhados (palmito, cenoura e ervilha torta, R$ 45). The Hall - Alameda Lorena, 1.717, Jardins. Tel.: 3082-7848

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.