Tetzlaff toca peças de Mozart e Mendelssohn em SP

O violinista alemão Christian Tetzlaff desembarca hoje em São Paulo trazendo duas de suas peças favoritas. Ao lado da Filarmônica de Câmara de Bremen, toca hoje e amanhã na Sala São Paulo o concerto em sol maior de Mozart e o concerto de Mendelssohn. "São uma moldura interessante para os concertos da orquestra nessa viagem pela América do Sul", diz ele. "Os dois concertos estão repletos de beleza. Mas Mendelssohn tem um caráter um pouco mais expressivo."

AE, Agência Estado

23 de agosto de 2011 | 11h01

Tetzlaff é músico em rápida ascensão. Surgiu como grande intérprete de Bach, o que lhe rendeu prêmios e a possibilidade de se apresentar nos principais palcos do mundo, ampliando seu repertório em direção aos grandes concertos para violino. Acaba de realizar uma residência no Carnegie Hall, onde fez diversas apresentações na temporada 2010/2011. "É uma experiência incrível ser um artista residente. O público pode vê-lo em vários concertos e está interessado justamente em observar você nas diferentes regiões do fazer musical. Desde a música de câmara mais delicada até o concerto mais virtuosístico."

Ele acredita que a variedade das apresentações em NY mostraram o rico universo musical que lhe interessa. Ele não acredita na necessidade da especialização em determinado repertório. Prefere fazer viagens por períodos e épocas. E acha que nesse sentido é fundamental manter uma ligação com a música composta hoje. Recentemente, ele estreou uma peça do compositor inglês Harry Birthwistle, ao lado da Sinfônica de Boston regida pelo maestro brasileiro Marcelo Lehninger, que substituiu o diretor da orquestra James Levine, com problemas de saúde. "Foi uma experiência muito boa. Conheci a peça pouco antes de tocá-la e não sei se a entendi completamente, mas, no final das contas, provocou uma grande impressão na plateia. O fato é que a obrigação de reinventar o violino ao compor acabou nos anos 70 e isso deixou de ser um critério, levando a uma maior liberdade na hora de escrever.

A Filarmônica de Câmara de Bremen foi criada na década de 80 e, nos últimos anos, vem ganhando prestígio cada vez maior no cenário internacional - em 2009, por exemplo, fizeram a integral das sinfonias de Beethoven no festival de Salzburg. A sonoridade transparente se alia a um repertório amplo, que abarca diversas épocas, como mostram os programas que toca hoje e amanhã em São Paulo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Filarmônica de Câmara de Bremen - Sala São Paulo (Praça Júlio Prestes, 16). Telefone (011) 3258-3344. 3ª e 4ª, 21 h. R$ 90/ R$ 190.

Tudo o que sabemos sobre:
músicaconcertoChristian Tetzlaff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.