Teto de museu do Vaticano desaba sem causar danos

O teto que se desprendeu é de uma sala coberta destinada a exposições

16 de junho de 2010 | 21h24

Cidade do Vaticano (EFE)- Parte do teto de gesso de um museu do Vaticano desabou na noite de 7 de junho, sem causar danos nem ferimentos a ninguém, informou hoje o diretor dos museus, Antonio Paolucci.

 

O teto que se desprendeu é de uma sala coberta destinada a exposições. Em 2000, o espaço passou a fazer parte da nova área de entrada, quando parte dos museus foi restaurada por ocasião do Grande Jubileu.

 

Por ser de gesso, o teto desabado não danificou os monumentos expostos. Paolucci afirmou que, mesmo se tivesse caído sobre pessoas, não teria causado graves ferimentos.

 

Paolucci se mostrou aliviado pelo fato de ter sido esse o teto caído. Segundo uma nota publicada hoje no jornal vaticano "L'Osservatore Romano", pior teria sido se um teto pintado pelo artista italiano Daniele da Volterra (1509-1566) tivesse se desprendido.

 

"A verdade é que os museus são muito resistentes. Todos os anos, 4,5 milhões de pessoas passam por eles, ou seja, 9 milhões de pés se arrastam pelos seus solos", disse Paolucci.

Tudo o que sabemos sobre:
TetoVaticano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.