Terraço Itália comemora 40 anos em setembro

Localizado na esquina das Avenidas Ipiranga e São Luís, no 41º andar do Edifício Itália, o restaurante Terraço Itália comemora em setembro um grande feito: ter sobrevivido com elegância a 40 anos de história, numa cidade que, nesse intervalo de tempo, transformou-se no maior pólo gastronômico do País. Hoje, São Paulo abriga 12.500 restaurantes (dos populares aos de elite) e 15 mil bares. E mesmo assim, durante a semana, o salão nobre da casa lota para o almoço. À noite, os outros três salões, incluindo o bar, ficam tão cheios que a entrada de clientes é interrompida antes do horário de fechamento. O Terraço virou ponto disputado para eventos e festas. ?Estamos com a agenda lotada todos os fins de semana deste ano?, diz Roberto Simon Adler, gerente do restaurante.Inaugurado em 1967 pelo prefeito Faria Lima, o Terraço Itália nasceu como um restaurante nobre e reinava no topo do prédio, a 165 metros de altura, com uma vista panorâmica de 360 graus da cidade. Era a grande atração da região. E ainda é. Freqüentemente o lugar vira cenário de grandes festas da turma da moda. No último São Paulo Fashion Week, a Forum fechou o bar para convidados. ?O Tufi (Duek) queria dar uma festa à altura da marca?, explica Antenor Neto, relações públicas da grife. ?Não havia lugar mais alto e mais charmoso do que esse.? Entre os convidados estavam o jogador de pólo Ricardo Mansur e as atrizes Aline Moraes e Marisa Orth. Há 15 dias, o diretor Jorge Fernando rodou ali cenas com a atriz Claudia Raia, para a novela Sete Pecados, da Rede Globo. Não são apenas os famosos que sobem ao 41º andar para espiar São Paulo. Das 15 às 16 horas, o Terraço fica aberto à visitação gratuita do público. ?Vêm turistas de todo lugar, mas de cada dez visitantes, três são estrangeiros?, diz o gerente Roberto. Nos demais horários, qualquer um, mesmo quem esteja consumindo no bar ou no restaurante, paga R$ 15 pela vista. ?É uma espécie de couvert artístico?, explica. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.