Temporada no Alfa começa com dança

A temporada 2001 do Teatro Alfa terá 10 eventos, reunindo artistas brasileiros e atrações internacionais com destaque para a presença da soprano norte-americana Jessye Norman. A assinatura para a programação tem preço mínimo de R$ 390.Quem abre a temporada é, no final de março, a Les Grands Ballets Canadiens de Montreal, uma das principais companhias de dança canadenses, dirigida por Gradimir Pankov.Em abril, a atração é a Orquestra de Câmara Villa-Lobos que, neste ano, executou uma série de concertos temáticos no Teatro São Pedro. Como solista, o grupo recebe o violinista russo Boris Belkin, que também fará concertos com a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo no primeiro semestre.Gilberto Gil e Ryuichi Sakamoto, conhecido pelas trilhas de filmes de importantes diretores como Nagisa Ochima e Bernardo Bertolucci, apresentam-se, em maio, ao lado do Quarteto Jobim Morelenbaum.No mês seguinte, a música popular brasileira continua a ser o destaque, agora com os concertos da Orquestra Philarmonia Brasileira, dirigida pelo maestro Gil Jardim, ao ladode Egberto Gismonti.A dança volta à programação em agosto, quando o grupo Corpo interpreta as coreografias Bach e O Corpo - que recebeu o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte 2000 -, assinadas por Rodrigo Pederneiras. Em setembro, é a vez de um dos mais tradicionais representantes do gênero "ópera de Pequim", a Kuo-Kuang Chinese Opera Company. Serão mais de 60 bailarinos, cantores, músicos e atores no palco, interpretando música oriental e fazendo arrojadas acrobacias, coloridas por exuberantes figurinos e detalhes cênicos.Ópera - Ao contrário do que aconteceu no ano passado, o Alfa programou apenas uma ópera para este ano (em 2000 foram duas produções, uma em cada semestre, em convênio com a Secretaria Municipal de Cultura). O título escolhido foi Carmen, de Georges Bizet. Com participação da Orquestra Experimental de Repertório, dirigida pelo maestro Jamil Maluf, a montagem será dirigida por Carla Camurati que, em 1990, dirigiu, também no Alfa, uma produção de Madama Butterfly, de Puccini. O elenco, ainda não definido, será composto predominantemente por artistas brasileiros.Grande diva do mundo lírico internacional, Jessye Norman é a atração de outubro. Além de ser conhecida intérprete de papéis de Wagner e Strauss, ela tem em seu repertório número bastante grande de canções de compositores norte-americanos e europeus. Um de seus últimos trabalhos foi uma gravação de canções do compositor francês Michel Legrand, para quem "Jessye tem uma voz maravilhosa e este não será, com certeza, nosso último trabalho juntos".Em novembro, a Orquestra Filarmônica de Hague fará concertos em que a música do compositor holandês Mengelberg será mesclada com projeções de quadros de Rembrandt. O encerramento da temporada será feito pela The Artie Shaw Band, que, dirigida por Dick Johnson, interpretará seus velhos sucessos, também em novembro.

Agencia Estado,

25 de dezembro de 2000 | 16h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.