''Tem que tocar no rádio já''

Henrique Cazes, cavaquinista e idealizador do projeto

Entrevista com

Lucas Nobile, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2010 | 00h00

Como surgiu a ideia de regravar o acompanhamento de músicas gravadas pela Carmen?

Sempre fui apaixonado por gravações dos anos 1930. E surgiu a ideia de trazer o acompanhamento daquela época para os dias de hoje, mostrar como seria se ela estivesse viva. Os puristas encaram como uma coisa louca, mas foi uma maluquice realizada com muito respeito.

Como chegaram a esse repertório entre tantos sucessos?

Os critérios foram dois. Levamos em conta o aspecto artístico, obviamente, e o técnico, que foi decisivo. Onde tínhamos a voz da Carmen melhor, na sua plenitude.

O que espera do disco agora que ele está sendo lançado?

Nem eu, que sou otimista, esperava que desse tão certo. Esse repertório não pode ser só um item de colecionadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.