Telespectadores criam sindicato e organizam greve na Itália

Em resposta à baixa qualidade da programação da TV, os telespectadores italianos decidiram organizar seu próprio sindicato para coordenar campanhas e até greves. O Syndacato dei Telespettatori já fez quatro greves, a última no dia 9 de março, com manifestação em San Remo, onde o movimento pediu a adesão de músicos que participavam de um festival.Em seu site na Internet, a organização apresenta as razões da campanha: "o valor cultural da maior parte dos programas é escasso, quando não inexistente; é difícil encontrar na TV um personagem de sincero interesse; a existência de um programa depende apenas das vendas de seus espaços publicitários e não da vontade de satisfazer um pluralismo de preferências".O movimento quer interferir diretamente na programação da TV. Seu slogan é direto e soa como desabafo "digamos a verdade, esta televisão nos dá nojo". Entre as reivindicações estão reuniões com o governo italiano e com os donos de emissoras. O que pode dar no mesmo, já que o primeiro-ministro do país, Silvio Berlusconi, é dono de emissoras de TV.O sindicato tem projetos que podem ser lidos no seu site, www.esterni.tv. Entre eles estão a contagem de quantos italianos estão insatisfeitos com a qualidade da programação, a pesquisa do tipo de programação que a sociedade prefere e a criação de um conselho de notáveis para "avaliar a qualidade e a inteligência dos programas de TV". Através do site, é possível enviar sugestões para uma "carta dos direitos do telespectador", que o sindicato pretende publicar em breve.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.