Telecine Cult exibe clássico com Marylin Monroe

Marilyn Monroe morreu em agosto de 1962, num episódio sobre o qual pairam dúvidas. Teria sido morte acidental, por excesso de comprimidos; suicídio; ou até assassinato pelo serviço secreto, já que suas ligações na Casa Branca estavam produzindo estragos no futuro político dos irmãos John e Robert Kennedy. Marilyn tinha 36 anos, estava gorda, com estrias, mas quem se importava? Aquela mulher era uma deusa.Em 1.º de junho completaram-se 80 anos do nascimento de Marilyn Monroe, aliás, Norma Jean Mortensen. O Telecine Cult lembra a data, sempre às quintas-feiras do mês. Nesta quinta-feira, exibe às 20 horas, no Cine Classic, O Mundo da Fantasia e, às 22 horas, O Pecado Mora ao Lado. O ex-desenhista de moda Walter Lang virou um diretor meio robotizado na Fox, mas seus musicais não carecem de graça. Can-Can é ótimo e Marilyn é 10 no número em que faz, cantando, o boletim meteorológico de O Mundo da Fantasia. Em O Pecado Mora ao Lado, a imagem que ficou foi a do vento do metrô que levanta sua saia e deixa à mostra a calcinha, o que desestabiliza o vizinho interpretado por Tom Ewell. Billy Wilder dizia que Marilyn infernizava a vida de todo o mundo no set, mas valia a pena. A estrela tinha um fogo que o cinema eternizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.