Telecine cresceu 30% em audiência de janeiro a abril

Há cerca de dois anos o Telecine pensou em mudar de estratégia. Decidiu repensar na sua grade de programação, focar sua publicidade na divulgação de seus grandes títulos e dar uma modernizada nas vinhetas. E o trabalho, que começou com a contratação do diretor-geral João Mesquita, está fazendo efeito. A rede está em festa porque, desde quando começou a medição do Ibope na TV Paga, há cinco anos, o Telecine nunca tinha fechado um mês com tanta audiência no horário nobre. Comparando os números de janeiro a abril deste ano com os de 2005 houve um aumento de 30% na audiência. E os grandes responsáveis por isso foram os canais Telecine Pipoca e Telecine Cult, reformulados recentemente. Segundo Mesquita, a audiência também ficou mais jovem. "Tínhamos um público mais velho do que nossos concorrentes, HBO e TNT, e estamos conseguindo mudar este perfil", conta. Mesquita diz, no entanto, que, do ponto de vista da qualidade, o acervo adquirido pelo Telecine hoje é idêntico ao que ele adquiria um ano atrás. "A diferença é que estamos muito mais preocupados com a satisfação dos nossos consumidores." O acervo de 2006 promete. O Telecine exibirá todos os longas indicados para o Oscar de melhor filme - Boa Noite e Boa Sorte, Capote, Munique, O Segredo de Brokeback Mountain e o campeão Crash - No Limite. Os premiados Johnny e June, O Jardineiro Fiel e King Kong também estão nas mãos do canal. Além de ter contrato com quatro grandes estúdios - Fox, Universal, Paramount e MGM -, o Telecine também procura em feiras internacionais outros títulos. "Às vezes compramos um filme em pré-produção ou quando ele tem apenas um esboço. Procuramos o que nos parece interessante", explica. Pelo visto, o canal está apostando nas fichas certas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.