Telas traçam retrato do negro brasileiro

A artista plástica argentina Alicia G. Rossi inaugura esta semana no Instituto Tomie Ohtake a exposição Em Torno do Humano, em que apresenta 28 pinturas em que o homem negro é o motivo central. Alicia, que é radicada no Brasil há 40 anos, faz um trabalho figurativo em que tenta captar a densidade psicológica humana. Quando chegou ao Brasil, a pintora viu um desfile de escola de samba. Ali, ela despertou para a riqueza da cultura negra no Brasil. Iniciou então uma longa pesquisa psicológica e estética sobre este grupo social brasileiro e suas manifestações culturais. O resultado é uma obra em pintura que expressa o negro brasileiro em sua realidade social, cultural e histórica. O trabalho de Alicia G. Rossi afirma a identidade e a semelhança entre os povos. ?Eu acredito na igualdade do espírito humano. Bem lá no fundo, acredito que nossas aspirações, defeitos e qualidades são tremendamente semelhantes?, diz a artista. A exposição em cartaz no Instituto Tomie Ohtake, até 31 de agosto, é uma chance de reafirmar a humanidade do homem negro e sua plena identidade com o Brasil. Em Torno do Humano - Instituto Tomie Ohtake: Av. Faria Lima, 201, entrada pela rua Coropés, 88, tel.: 6844-1900. De terça a domingo, das 11h às 20h. Até 31 de agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.