Tela redescoberta de Rembrandt vai a leilão

Um auto-retrato de Rembrandt (1606-1669), que permaneceu por três séculos oculto sob camadas de tintas de um discípulo, vai finalmente a leilão em 10 de julho. Com valor estimado em US$ 10 milhões, o retrato foi pintado em 1634, quando o mestre holandês tinha 28 anos. Mais tarde, um aluno de seu estúdio alterou cabelos, bigode e chapéu, aproximando-o do retrato de um aristocrata russo.Desde 1935, um grupo de especialistas investigava a tela. Após sucessivas remoções de tinta, o original foi reapresentado em janeiro de 2003. Seu leilão será organizado pela Sotheby´s de Londres. É o primeio auto-retrato de Rembrandt a ir a leilão em 30 anos. Antes de ser arrematada, a obra poderá ser vista no Museu Rembrandt, de Amsterdã, na Holanda.Descobrir a autenticidade de um Rembrandt é tarefa árdua. Há mais de três décadas, a comissão do "Rembrandt Research Project" tenta provar a assinatura de diversas obras atribuídas ao holandês. Nos anos 60, quando foi instalada a comissão, havia catálogos que atribuíam mais de mil obras a Rembrandt. Com o passar dos anos de pesquisa, o número caiu para cerca de 400, sendo que sob 40 ainda pesavam uma ou outra dúvida. Isso porque, do ponto de vista técnico e material, o traço do pintor pouco difere do de seus discípulos. AP/Montagem mostra a tela antes e depois do trabalho de restauração que revelou um autêntico Rembrandt

Agencia Estado,

11 de março de 2003 | 15h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.