Técnica milenar de perfumes está ameaçada na Índia

Método de destilação a vapor dos perfumes do tipo attar perde espaço para indústrias que usam químicos.

BBC Brasil, BBC

19 de setembro de 2012 | 06h33

Uma técnica milenar de fazer perfumes está ameaçada na Índia diante de novas tecnologias mais baratas.

Há mais de mil anos, destilarias a vapor na região de Kannauj, no norte do país, produzem perfumes conhecidos como attar. O clima e o solo desta região da Índia faz com que as pétalas de rosa desta região tenham um aroma singular.

A técnica para fazer o perfume - com destilação a vapor em potes de cerâmica - é complicada e pode demorar meses. Muitas destilarias estão fechando porque não conseguem competir com novas indústrias que usam químicos para produzir o attar.

A região de Kannauj já teve 700 destilarias; hoje são apenas 150.

A esperança dos produtores tradicionais do perfume é o Oriente Médio, para onde a Índia exporta a maior parte da produção. Muitos muçulmanos só usam attar e se recusam a usar perfumes que levam álcool entre os seus ingredientes. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.