Teatro São Pedro anuncia temporada e cria academia

O Teatro São Pedro anunciou na manhã desta segunda-feira sua temporada para 2013, prometendo "uma programação como um todo e não mais um punhado de eventos desconexos". Serão quatro óperas (entre elas a estreia de uma obra encomendada pelo teatro), 7 concertos sinfônicos e uma novidade principal - a criação de uma academia de ópera que vai atender, no primeiro ano, 18 jovens cantores líricos. Para tanto, o teatro terá um orçamento de R$ 1,9 milhão, bancado pelo governo do Estado.

AE, Agência Estado

05 Fevereiro 2013 | 10h49

A Academia do Teatro São Pedro terá, em 2013, 18 cantores. "Eles vão acompanhar o dia a dia do teatro, os ensaios, vão ter aulas com os artistas convidados e poderão cantar nas récitas dedicadas a cantores jovens", explica o maestro Emiliano Patarra, diretor artístico e regente titular da sinfônica do teatro. "O que nos interessa não é um cantor pronto mas, sim, aquele artista com potencial a ser desenvolvido, o que vai acontecer na prática. É um espaço que falta no mundo lírico brasileiro", completa, explicando que os alunos serão escolhidos em audições. "Eles não terão bolsas e não pagarão nada pelo curso. Apenas os cantores que participarem de récitas receberão seus cachês."

A temporada lírica começa em março, com "La Cenerentola", de Rossini; em seguida, em junho, sobe ao palco "A Volta do Parafuso", de Benjamin Britten; e, em novembro, dois títulos: "O Menino e a Liberdade", nova ópera de Ronaldo Miranda (com libreto de Jorge Coli) e "Falstaff", em homenagem ao bicentenário do compositor Giuseppe Verdi.

"Este é um teatro que tem história, tem um passado, vem se transformando nos últimos anos e, se hoje estamos aqui e podemos dar novos passos, é por conta disso", disse o maestro Emiliano Patarra, diretor artístico e regente titular da sinfônica do teatro. "E isso vale também para o repertório. Ao mesmo tempo que trazemos uma ópera como La Cenerentola, com a qual o teatro foi reinaugurado há 15 anos, vamos promover a estreia de uma ópera nova."

Entre os concertos sinfônicos, alguns destaques. A pianista Sonia Rubinsky, por exemplo, abre a temporada ainda em fevereiro, interpretando o concerto de Schumann, sob regência de Lígia Amadio. A cantora Cida Moreira faz, em maio, um programa com canções de Kurt Weill; o violonista Fábio Zanon, em agosto, sola o concerto nº 3 de Leo Brouwer; mais um pianista para encerrar o ano: Eduardo Monteiro, em setembro, com o concerto de Grieg.

Os concertos incluem ainda três apresentações da série "Grandes Vozes". Em abril, o tenor Josep Brós canta regido por Marco Boemi; em seguida, Abel Rocha rege a soprano Eliane Coelho em programa dedicado a Strauss e Villa-Lobos; também em agosto, Jamil Maluf comanda programa que terá a soprano Annick Massis como solista). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

DESTAQUES

ÓPERAS

"La Cenerentola", de Rossini;

"A Volta do Parafuso", de Britten;

"O Menino e a Liberdade", de Ronaldo Miranda e Jorge Coli, a partir de conto de Paulo Bonfim;

"Falstaff", de Giuseppe Verdi.

CONCERTOS

Lígia Amadio e Sonia Rubinsky;

Abel Rocha e Eliane Coelho;

Jamil Maluf e Annick Massis;

Guilherme Mannis e Fábio Zanon.

ASSINATURAS

A temporada foi dividida em duas séries de assinaturas. A Piratininga inclui um ingresso para cada ópera e para os concertos de sexta-feira à noite; a Paulista, um ingresso para as óperas e lugar nos concertos de domingo. Os valores vão de R$ 182 a R$ 357 (30% de desconto com relação aos ingressos avulsos). Mais informações no site www.theatrosaopedro.org.br.

Mais conteúdo sobre:
música Teatro São Pedro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.