Teatro Municipal de SP comemora 92 anos com concertos

O Teatro Municipal de São Paulo completa nestefim de semana 92 anos de idade. Para comemorar a data, põe paratrabalhar suas duas orquestras, nesta sexta, sábado e domingo. É a vez da Sinfônica Municipal sob regência de IraLevin, com a Sinfonia n.º 3, de Mahler. Também no domingo,a Experimental de Repertório e Jamil Maluf interpretam umprograma dedicado a Prokofiev, com a participação do pianistavietnamita Dang Thai Son, que vai tocar o Concerto n.º 3 docompositor russo, morto há 50 anos. Complementam a apresentaçãoduas peças de Stravinski: a Segunda Suíte para Pequena Orquestrae o balé Petrouchka. Esse não será o primeiro Mahler do maestro Ira Levin noTeatro Municipal de São Paulo - desde que assumiu o cargo de diretor musicalele já regeu também a Sinfonia n.º 6. A terceira, porém, é umdesafio gigantesco, em muitos sentidos. É a mais longa sinfoniaescrita por Mahler, dura cerca de duas horas e é um bom exemploda visão que o compositor tinha desse tipo de obra. Para ele, asinfonia devia conter todo um mundo dentro de si e, aqui, seutema principal é a natureza e o lugar que o homem ocupa dentrodela. Nisso, está a influência de Nietzsche, por exemplo. Comona Segunda Sinfonia e em obras que seriam escritas mais tarde, aTerceira também utiliza palavras e a presença de uma cantorasolista, cuja voz se mistura à textura orquestral e amplia osmeios de expressão do compositor. Nas apresentações desta semana a solista será a meio-soprano romena Mariana Cioromilla. Já o concerto da Experimental de Repertório se guia sobo signo da música russa. Após homenagear Berlioz (de quem selembra este ano o bicentenário) com a interpretação do Haroldona Itália, agora é a vez de lembrar Sergei Prokofiev, morto há50 anos. A peça escolhida foi o Concerto n.º 3 para Piano eOrquestra, aquele que, entre os cinco escritos pelo compositor,tornou-se o mais célebre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.