Teatro Mars quer tornar-se endereço da dança

Um dos poucos teatros particularesde São Paulo, o Teatro Mars abre suas portas para parcerias. Osproprietários, Lilian Breda Menna Barreto, Ciro Menna Barreto eVivian Breda, estão interessados em instituições que queirammanter e co-patrocinar o teatro, que terá um novo perfil: oprimeiro a direcionar sua programação especialmente para adança."São Paulo não possui um espaço específico parapesquisa, cursos, workshops e apresentações de dança", ponderaLilian. "A cidade precisa de um local onde os artistas possamexperimentar, mostrar coreografias e que seja uma referênciapara que o público possa ir." Ela avalia que, em geral, ascompanhias ficam por pouco tempo em cartaz, as programações sãopulverizadas e aqueles que têm interesse acabam sem saber o queassistir.O projeto procura viabilizar a ocupação e utilização doMars, que não tem sido utilizado em toda sua capacidade."Atualmente, as peças precisam ter cenário e figurinoadaptáveis para viagens, o que não permite o uso integral detodas as possibilidades que o Mars oferece", diz ela. "Com umaprogramação voltada para a dança, todos os palcos e dependênciaspoderão ser aproveitados", observa.O projeto não onera as companhias, uma vez que amanutenção e a infra-estrutura do teatro ficam com uma instituição de grande porte e o apoio financeiro às pesquisas eproduções deverá ficar a cargo das empresas patrocinadoras. Ocusto, por um período de 15 meses (contando com arrendamento ereforma do espaço), está estimado em R$ 950 mil. Já a manutençãoe infra-estrutura técnica fica em R$ 460 mil. Os valores jáforam aprovados pelo Mecenato do Ministério da Cultura."A instituição que arrendar o Teatro Mars, além dosbenefícios das leis de incentivo à cultura e a renúncia fiscal,terá o retorno institucional - a imagem da empresa estarávinculada a um trabalho contínuo, algo semelhante ao que érealizado no Espaço Unibanco para o cinema", explica Lilian."Os patrocinadores também terão retorno financeiro com asbilheterias, divulgação de produtos e publicidade."Com esse investimento, ela crê que é possível fomentar adança na cidade, por meio da criação de um movimento constante.E também a formação de novos profissionais, por meio da criaçãode um centro ativo de pesquisa coreográfica. Os organizadorespretendem que haja uma ocupação permanente do teatro. Durante odia, com cursos e workshops sobre todas as linhas existentes nadança, exibição de vídeos e a pesquisa em torno de um banco dedados com bibliografia, fotos e documentos. A noite é reservadapara as apresentações.Para definir a programação dos espetáculos a seremexibidos, foi escolhido um conselho curatorial compersonalidades da área. Entre elas, está Helena Katz, osdiretores José Possi Neto e Naum Alves de Souza, a jornalistaAna Francisca Ponzio e o produtor Emílio Kalil. Os curadoresserão responsáveis pela presença de companhias brasileiras einternacionais, assim como pela promoção de mostras efestivais."Esse conselho é importante porque garantirá adiversidade da agenda do teatro e a qualidade dos trabalhos queserão exibidos", afirma a produtora Úrsula Groska. "Com aspalestras e cursos, haverá a troca de informações entre osartistas", avalia Lilian. As companhias e profissionaisinteressados devem enviar uma proposta aos curadores para quepossam avaliar o projeto. A idéia inicial é ter no mínimo 20apresentações durante um ano.Espaço plural - "Sempre estivemos ligados à cultura, e queremosdar continuidade a essa programação", diz Lilian. "Além deocupar o espaço plural que o Mars oferece e ainda fomentar adança na cidade."O prédio foi projetado como um espaço versátil para asartes cênicas - sua estrutura é modular e adaptável. Em 1983,recebeu o prêmio AIB na categoria Edifício para Fins Culturais.São seis faces de um cubo, com capacidade variável, de acordocom a disposição do palco - o número de cadeiras pode ser 250 ouchegar a 700 lugares. Esses números oscilam dessa maneira devidoa nove plataformas variáveis em altura e inclinação. Os interessados em investir no Teatro Mars devem entrarem contato com Úrsula Groska Produções, pelo telefone (11)3085-4619. Ele está localizado na Bela Vista, região central dacidade, na Rua João Passalaqua, 80.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.