Teatro do Centro da Terra abre mostra

Performances, espetáculos, workshops e debates compõem a programação do 1.º Circuito de Artes Cênicas do Teatro do Centro da Terra (TCT), que começa hoje e prossegue até 1.º de dezembro, no teatro fundado pelo diretor Ricardo Karman, no bairro do Sumaré. A maratona conta com as participações de 12 grupos brasileiros de dança e teatro, que mostram processos de pesquisa em áreas que vão da antropologia ao universo das hipermídias: o corpo mediado na rede, as narrativas projetadas na Net. O evento, orçado em R$ 560 mil e com metade desse valor custeado pela Petrobrás, está dividido em três tópicos: Linguagens Híbridas, Corpo e Antropologia e Performance e Tecnologia. A coordenação é de Karman, com curadoria de Renato Cohen."O Circuito congrega grupos que desenvolvem pesquisas radicais nas artes cênicas, mas se desdobra em vertentes, como traçar um panorama das produções regionais e urbanas e estimular a produção de pensamento", diz o diretor Ricardo Karman, à frente da Kompanhia Teatro Multimídia e responsável por montagens também radicais, como Viagem ao Centro da Terra (1992) e A Grande Viagem de Merlim (1995). Os grupos participantes são Cia. de Dança Burra e Experimento I (Belo Horizonte); Teatro da Passagem (Rio de Janeiro); Cia. Senhas de Teatro (Curitiba); Boa Companhia, Lume, Cordex e Neo Tao (Campinas), Imbuaça (Aracaju), Corpos Informáticos (Brasília), Stravaganza (Porto Alegre) e Otávio Donasci (São Paulo).Dança - O bloco A, Linguagens Híbridas, será aberto hoje com o espetáculo do bailarino Marcelo Gabriel, A Cada Dia nos Alegramos de Estarmos Vivendo e Já Estarmos Mortos, terceira parte de sua tetralogia Danças do Abismo.Considerado um criador vertiginoso, o bailarino apresenta um espetáculo-solo em que critica a anestesia das sociedades contemporâneas. Esse primeiro bloco, que inclui os espetáculos Insônia (Teatro da Passagem), Experimento 1 (Grupo Experimento I), Primus (Boa Companhia) e Devorateme (Senhas), pretende cartografar as linguagens contemporâneas conjugadas em dança-performance-drama."Gabriel é um bom exemplo disso", diz o curador Renato Cohen, igualmente conhecido por seus experimentos radicais. "Seu teatro funde várias linguagens cênicas, unindo a dança e o teatro guignol." Cohen também ressalta nesse primeiro bloco o teatro poético "dançado" pela Boa Companhia e os vários gêneros que conferem universalidade à dança do Teatro da Passagem.Corpo e Antropologia, o bloco B, será aberto no dia 1.º de outubro pelo sergipano Imbuaça, no espetáculo O Banquete de Sonhos. "Eles trazem um teatro de rua fortemente atrelado ao cordel", sintetiza Cohen. Adaptado da história de cordel A Mulher Que Amarrou Santo Antonio, funde o verbo à dança e à música. O Lume de Campinas também participa desse bloco com três espetáculos, puxados pela pesquisa em Jerzy Grotovski e Eugenio Barba: Cnossos, La Scarpetta e Um Dia... O Stravaganza apresenta Como Vivem os Mortos?, comédia baseada numa história real, com forte impulso da bufonaria, e o Córdex, com As Suplicantes, apresenta sua versão da tragédia de Ésquilo na linha do teatro físico (antropológico).O último bloco, Performance e Tecnologia, de 12 de novembro e 1.º de dezembro, reúne grupos "mais jovens, alguns ligados ao meio acadêmico", segundo Cohen. É o caso do Neo Tao, que traz Espelho Virtual, e do Corpos Informáticos, com Performance em Telepresença. Ressalte-se que neste último espetáculo, dirigido por Bia de Medeiros, de Brasília, os internautas podem participar a distância, enviando seus trabalhos para a rede. Eles chegarão ao palco. Artistas nacionais e internacionais confirmaram suas participações online, como Yara Guasque (SP) e Johannes Birringer (Ohio)."Estaremos circuitados", antecipa Cohen. Para finalizar o evento, o performer multimidia Otávio Donasci, de São Paulo, mostra Cabaret VideoCriaturas. "O Circuito também se pauta por criar uma política do espaço", ressalta Karman, que fundou o Teatro do Centro da Terra há dois anos, para dar vazão às suas experiências mais ligadas ao palco italiano, depois de percorrer túneis e ruas com espetáculos multimídias. "Vários grupos se apresentarão nas dependências do TCT, não só no palco do teatro."As mesas-redondas abrem os tópicos e contarão com as presenças de pesquisadores, artistas e acadêmicos. Mais informações podem ser acessadas no site www.centrodaterra.com.br.1.º Circuito Centro da Tearra de Artes Cênicas . Evento reúne espetáculos teatrais, workshops e mesas-redondas. Workshops, R$ 30 (cada); espetáculos, R$ 20 (cada); mesas-redondas são gratuitas. Teatro do Centro da Terra. Rua Piracuama, 19, tel.: 3675-1595. Até 1/12.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.