Teatro Colón, em Buenos Aires, será totalmente restaurado

Nem mesmo uma crise econômica degrandes proporções poderia atrapalhar a renovação do TeatroColón, em Buenos Aires, que rivaliza com os grandes teatros deópera do Velho Mundo em termos de seu esplendor e sua qualidadeacústica. Iniciada há nove anos, a obra foi orçada em 25milhões de dólares. A restauração do teatro de 99 anos começou com a medição desua acústica, pouco antes do crash econômico de 2001-2002 quelevou milhões de argentinos a mergulhar na pobreza. Mas a obra seguiu adiante apesar disso, e o teatro estáfechado desde novembro de 2006, enquanto trabalhadoresrestauram com muito trabalho suas fachadas de estuque, colunase vitrais delicados. "A acústica é o essencial", disse a arquiteta BettinaKnopf, que vem prestando assessoria à equipe responsável pelarestauração. A equipe convocou físicos, engenheiros, arquitetos e outrosespecialistas para preservar a delicadeza do som do auditório,que tem formato de ferradura, impedindo modificações, mesmo quesejam pequenas, à estrutura dos assentos enquanto ficamarmazenados. Artistas vão testar a qualidade do som quando o teatroreabrir para seu 100o aniversário, em maio de 2008, evento queserá festejado com uma apresentação da "Aida" de Verdi, a mesmaópera apresentada na inauguração da casa, em 1908. A construção, que mistura diversos estilos arquitetônicoseuropeus, vai ganhar telhado, iluminação, ar condicionado eencanamentos novos. Com 2.487 lugares, o Colón (Colombo em espanhol) fica nocoração de Buenos Aires, conhecida como "a Paris da América doSul", e é elemento central da identidade cultural argentina,pautada pela Europa. Nomes internacionais legendários como Maria Callas, LucianoPavarotti e Mikhail Baryshnikov já se apresentaram no teatro,que agora se encontra destituído de seus assentos, pisos demadeira, decorações douradas e estofamentos de veludo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.