Teatro Chinês de Hollywood será vendido a produtores de cinema

Marcas das mãos e pés de aproximadamente 200 celebridades, como Marilyn Monroe, Brad Pitt e Arnold Schwarzenegger estão abrigadas no local

Efe,

29 Abril 2011 | 00h26

LOS ANGELES - O Teatro Chinês, um dos principais pontos turísticos de Hollywood, será vendido, por uma quantia não revelada, a dois conhecidos produtores da indústria cinematográfica, informou na quinta-feira, 28, o jornal Los Angeles Times.

Um acordo obtido entre os estúdios Warner Bros. e Viacom Inc. (pertencente à Paramount Pictures), até agora proprietários do Teatro, promoveu a venda iminente do edifício a Don Kushner, produtor executivo de Tron - O Legado, e Elie Samaha, produtor de filmes como Meu Vizinho Mafioso (2000) e O Sobrevivente (2006).

A venda, que será concluída no dia 20 de maio, inclui as salas de cinema Mann's Chinese 6, situadas no centro comercial de Hollywood, e Highland, em Los Angeles.

Uma das primeiras salas de cinema da história de Hollywood, o Teatro Chinês abriga as marcas das mãos e pés de aproximadamente 200 celebridades, como Marilyn Monroe, Brad Pitt, Arnold Schwarzenegger, Will Smith, Harrison Ford e John Wayne.

Segundo o Los Angeles Times, o Teatro continuará sediando algumas das estreias mais importantes do cinema e permanecerá como uma das salas de exibição para première.

O acordo em questão se limita à venda dos edifícios em si, não aos terrenos onde eles se localizam, que foram vendidos em 2008 ao CIM Group, proprietário do complexo Hollywood & Highland e outros shoppings da área.

Os estúdios Warner e Viacom haviam adquirido o Teatro Chinês em 2001, quando até então pertencia à companhia Mann Theatres, que, por sua vez, comprou o edifício em 1973.

Foi Sid Grauman, junto a vários sócios - inclusive atores do cinema mudo como Mary Pickford e Douglas Fairbanks -, que financiaram a construção do Teatro Chinês, inaugurado em 1927, com a estreia de O Rei dos Reis, de Cecil C. DeMille.

Ao longo de sua história, o teatro serviu também como sede para a cerimônia de entrega do prêmio Oscar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.