Teatro Bolshoi vai recuperar sua antiga glória em 2008

Diretor-geral confirma que fim da restauração do prédio de 1825 no outono russo

Agencia Estado

06 de julho de 2007 | 16h17

O Teatro Bolshoi de Moscou foi salvo da virtual desintegração por obras maciças de reforma e agora está correndo contra o tempo para poder ser reaberto no outono russo de 2008, conforme anunciou seu diretor-geral nesta quarta, 4. Em julho de 2005 o Bolshoi, que abriga uma das mais importantes companhias de ópera e balé do mundo, foi fechado para reformas. Sua fachada estava suja, suas paredes e colunas esburacadas, depois de anos de descuido.Por trás da fachada, porém, a situação estava muito pior. "Mais de 60 por cento do prédio estava dilapidado. Os tijolos virtualmente se esmigalhavam em nossas mãos", disse o diretor-geral do teatro, Leonid Iksanov, em coletiva de imprensa."O trabalho de restauração e construção está sendo feito 24 horas por dia. Os problemas enfrentados pelos operários são realmente colossais.""Esperamos profundamente entrar num teatro renovado no outono de 2008. Mas está nas mãos de Deus."Fundado por decreto da imperatriz Catarina, a Grande, em 1776, o Bolshoi ganhou seu prédio atual em 1825, depois de a construção original, o teatro Petrovka, ter sido destruído num incêndio em 1805.Em 1853 o teatro foi novamente danificado por um incêndio, mas foi reaberto outra vez depois de três anos.Desta vez o Estado reservou 15 bilhões de rublos (US$ 585 milhões de dólares, ou cerca de R$ 1,1 bilhão) para a renovação do Bolshoi. Seu pórtico de oito colunas coroado com o deus grego Apolo andando numa carruagem puxada por quatro cavalos aparece em embalagens de chocolates e nas cédulas russas de 100 rublos.Os operários estabilizaram os alicerces do teatro com centenas de estacas e reforçaram suas paredes e colunas com barras de aço. Será instalado um palco com tecnologia moderna, e as áreas dos bastidores também serão reformadas.O enorme brasão do martelo e foice da União Soviética, que ornava a fachada, foi substituído pela águia de duas cabeças original, símbolo da Rússia imperial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.