Tapa encena obra de Artur Azevedo

Com a estréia a amanhã da comédia O Califa da Rua do Sabão, de Artur Azevedo, o Grupo Tapa inicia o projeto de ocupação do Teatro Artur Azevedo, na Mooca, administrado pela Secretaria Municipal de Cultura. Segundo a nova política estabelecida pela Prefeitura, os teatros distritais passam a ser ocupados por companhias teatrais por períodos de seis meses, renováveis. Apresentando Artur é o título da primeira fase desse projeto que venceu a concorrência de ocupação e, até o fim do mês, leva ao teatro três peças curtas - e pouco conhecidas - do dramaturgo que dá nome ao teatro. As outras duas são A Almanjarra e O Genro de muitas Sogras.Um projeto criado de olho no público, é como o diretor da companhia, Eduardo Tolentino, define Apresentando Artur, título que faz referência a um só tempo ao teatro, como espaço físico, e também à dramaturgia, uma vez que as peças escolhidas são bastante desconhecidas na obra do autor de O Mambembe e A Capital Federal. "Esse é um projeto ambicioso porque tem o foco no público. O que é bem diferente de planejar montagens em função do momento da própria companhia ou do Brasil. Nesse caso, assumimos um teatro municipal, situado num bairro, e temos um compromisso, em primeiro lugar, com o público potencial desse teatro. Acho que uma companhia como o Tapa pode dar sua contribuição nesse sentido." O projeto do grupo foi aprovado pelo Programa Municipal do Fomento ao Teatro, que se traduz numa verba de R$ 260.000.Leia mais.

Agencia Estado,

12 de junho de 2003 | 12h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.