Sweet Home Alabama

Alabama Shakes deixa o mundo boquiaberto com apenas um disco e se transforma em um dos fenômenos do rock atual

JOTABÊ MEDEIROS, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2012 | 03h09

Em seu primeiro show em Londres, no pequeno club Boston Arms, há alguns meses, eis quem estava na plateia: Robert Plant, David Byrne, Alex Turner, Jamie Oliver, Adele, Russel Crowe, Bon Iver, Jack White. Todo mundo atrás da nova sensação do rock americano, o grupo Alabama Shakes, liderado pela voz poderosa da cantora Brittany Howard, uma ex-funcionária dos Correios de uma cidadezinha de 20 mil habitantes no Alabama, "tipo uma parada de caminhões entre Birmingham e Nashville", como ela diz.

Turbinado por uma mistura de southern rock, soul e gospel, o som da banda é irresistível. Brittany é uma dessas vozes que podem levar meio século para dar o ar da graça, mas não é só isso que faz o Alabama Shakes. A pesquisa musical que embala o baixo de Zac Cockrell (ex-técnico veterinário) evoca lendas como James Jamerson e Rick Danko. O baterista é Steve Johnson, que trabalhava numa usina nuclear.

"Os caras e eu só queríamos compor música juntos, mesmo que ninguém fosse ouvir", disse a cantora ao Estado. "Estamos focados no que dizer, não no hype."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.