Suspeitos de roubar "Harry Potter" inédito são presos

Quatro pessoas foram presas sob suspeita de terem roubado duas cópias do aguardado quinto volume da saga de Harry Potter. Uma delas foi encontrada por um pedestre, nas proximidades da gráfica onde o livro está sendo impresso. O sujeito a enviou ao The Sun, e o tablóide, por sua vez, a devolveu à editora Bloomsbury. Entre os quatro presos, rendidos ontem à noite, há três jovens - e possíveis fãs de Harry Potter -, dois de 16, outro de 18. O quarto acusado tem 44 anos.As quatro primeiras aventuras do feiticeiro-mirim já venderam mais de 190 milhões de unidades, em 55 línguas, para mais de 200 países. A quinta, Harry Potter e a Ordem da Fênix, já é best-seller antes de sair da fábrica. É que os fãs já fizeram encomendas às livrarias para garantir sua cópia logo após o lançamento, em junho.Harry Potter e a Ordem da Fênix atrasou dois anos para chegar às livrarias, daí, em parte, a impaciência dos fãs. Especulou-se até o fim do personagem, por conta de um suposto bloqueio criativo da autora, a escocesa J. K. Rowling. Mostra da impaciência do público, há mercado até para cópias roubadas: um homem aproveitou o incidente para sondar o The Sun e oferecer cerca de R$ 110 mil pela cópia encontrada, que traz uma dedicatória da escritora ao marido e filhos: "A Neil, David e Jéssica, que fazem meu mundo mágico".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.